Política

publicidade
16 de fevereiro de 2013 • 16h33 • atualizado às 20h45

Partido de Marina Silva vai se chamar Rede Sustentabilidade

Heloísa Helena (Psol) participou do lançamento da Rede, em Brasília
Foto: José Cruz / Agência Brasil
  • Luciana Cobucci
    Direto de Brasília
 

Se conseguir as assinaturas e o registro necessários, o 31º partido político brasileiro vai se chamar Rede Sustentabilidade - ou apenas Rede. A legenda foi lançada neste sábado, em Brasília, pela ex-senadora Marina Silva, em evento que durou todo o dia e reuniu apoiadores e simpatizantes. "O nome que vamos registrar é Rede porque vamos ser uma rede que dialoga com diferentes setores da sociedade", disse ela.

O principal eixo do partido será a sustentabilidade - Marina Silva é uma conhecida defensora do meio ambiente e foi ministra da pasta no governo Lula, quando ainda era do PT. Além disso, a legenda também vai se comprometer em realizar a reforma política brasileira e defender os direitos humanos. 

Entre os principais pontos do estatuto do novo partido, que foram divulgados hoje, estão o limite para doação de pessoas físicas e jurídicas que quiserem contribuir com a legenda; a proibição de doações feitas por empresas de tabaco, álcool, agrotóxicos e armas; realização periódica de plebiscitos internos; transparência dos gastos de campanha eleitoral por meio de prestação de contas na internet; cotas para negros e índios, entre outros.

Outra determinação é que um candidato poderá se lançar apenas uma vez à reeleição, o que não exclui a própria Marina de disputar a Presidência da República em 2014. Ela admitiu que há possibilidade, mas garantiu que o objetivo do Rede não é apenas ganhar as eleições. porque Marina Silva foi eleita duas vezes seguidas para mandato como senadora pelo Acre - em 1994 e 2002.  

Para a criação da legenda, são necessárias cerca de 500 mil assinaturas, colhidas por eleitores de, no mínimo, nove Estados brasileiros. Os deputados Walter Feldman (PSDB-SP), Alfredo Sirkis (PV-RJ) e Domingos Dutra (PT-MA) já anunciaram que devem integrar a nova legenda. Convidado por Marina para integrar o Rede Sustentabilidade, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) se negou a deixar o Partido dos Trabalhadores, mas deu uma palestra no evento de lançamento da legenda. Mais cedo neste sábado, a ex-senadora afirmou que não fará oposição nem apoiará o governo de Dilma Rousseff. "Faremos alianças pontuais", declarou. 

Terra