1 evento ao vivo

ONU não cumpre papel de mediador em Israel, diz Lula

18 mar 2010
09h14
atualizado às 09h21
Gabriel Toueg
Direto de Amã

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta quinta-feira, durante passagem por Amã, na Jordânia, a atuação da Organização das Nações Unidas (ONU) no processo de paz entre Israel e o povo palestino. Lula disse que o Brasil não tem pretensão de substituir a ONU, mas que "a ONU não cumpre este papel (de mediador)".

Lula e o rei da Jordânia, Abdullah II, assistem à cerimônia de boas-vindas, em Amã
Lula e o rei da Jordânia, Abdullah II, assistem à cerimônia de boas-vindas, em Amã
Foto: Reuters

"A ONU criou Israel, então a ONU deveria negociar a paz", afirmou Lula, que disse ainda que paz na região não é só uma paz para o Oriente Médio, mas é uma paz para o mundo. "O Brasil quer conversar com pessoas com quem não se conversa. (...) Vamos conversar com o Irã. Queremos aproximar os interlocutores", afirmou o presidente. Perguntado se uma das organizações com quem poderia conversar seria o Hamas - grupo palestino que se opõe ao governo atual - Lula não respondeu.

Mais longe que D. Pedro
Mais cedo, em um discurso em Amã, Lula afirmou que nenhum chefe de Estado do Brasil esteve naquele país. "Nenhum presidente brasileiro veio aqui. D. Pedro não veio aqui, D. Pedro parou em Israel", disse o presidente, durante o Encontro Empresarial Brasil-Jordânia. Desde que D. Pedro II passou pela Terra Santa há 150 anos, nenhum chefe de Estado brasileiro esteve no local em visita oficial.

Lula encerra hoje a visita de quatro dias ao Oriente Médio, em que passou por Israel, Cisjordânia e Jordânia. Ainda nesta manhã, ele deve retornar ao Brasil, enquanto o chanceler brasileiro, Celso Amorim, segue para a Síria.

Fonte: Especial para Terra
publicidade