0

OAB-RJ encaminha ação contra Bolsonaro por quebra de decoro

30 mar 2011
16h33
atualizado às 16h46

A seção do Rio de Janeiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) encaminhou representação à Corregedoria-Geral da Câmara dos Deputados para que seja aberto processo contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) por quebra de decoro parlamentar. Segundo a OAB-RJ, ele fez declarações de teor discriminatório em relação à população negra e aos homossexuais em um programa de TV veiculado na segunda-feira.

Bolsonaro deu declarações consideras homofóbicas e racistas a programa de TV
Bolsonaro deu declarações consideras homofóbicas e racistas a programa de TV
Foto: Agência Brasil

Para o presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, as declarações contém um teor "altamente ofensivo de cunho racista e homofóbico". "O deputado deixou explícita a hostilidade a esses setores da sociedade brasileira negros e homossexuais. Ele manifesta ódio e desqualifica aquele ou esse grupo da população. Parece-me que isso não condiz com as responsabilidades de um parlamentar", afirmou.

Em um quadro da programa humorístico CQC, da TV Bandeirantes, Bolsonaro foi perguntado sobre qual seria sua reação caso seu filho se apaixonasse por uma negra. O deputado respondeu que não "corria o risco" porque os filhos foram "muito bem educados" e não viveram "em ambiente de promiscuidade". Ainda ontem, a Comissão de Direitos Humanos da Casa pediu que o caso fosse investigado. Bolsonaro foi à tribuna se defender. Ele disse que se confundiu e achou que a pergunta se referia a homossexuais.

"Cada vez que ele se defende complica mais a situação jurídica", afirmou Damous, que ressaltou que, apesar de homofobia não ser tipificada como crime, como ocorre com o racismo, a declaração é " incompatível" com o cargo ocupado pelo deputado. A pena mais grave que pode ser aplicada em um caso de quebra de decoro é a perda do mandato.

Agência Brasil Agência Brasil

compartilhe

publicidade
publicidade