2 eventos ao vivo

No RS, Yeda compara resultado das eleições a surra

4 nov 2010
17h01
atualizado às 19h54
Flavia Bemfica
Direto de Porto Alegre

Teve tom de desabafo a apresentação que a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB) fez nesta quinta-feira (4), no auditório do Centro Administrativo do governo, dos chamados programas estruturantes de sua administração. Os programas, em número de 12, concentram as ações do governo nas diversas áreas da administração, como segurança, educação e saúde. "Levamos uma surra nas urnas", resumiu ela, referindo-se ao processo eleitoral. Yeda, que disputou a reeleição, acabou em terceiro lugar. No Rio Grande do Sul, a corrida para o governo terminou no primeiro turno, com a vitória do petista Tarso Genro.

Yeda, que vem se mantendo distante dos holofotes desde o resultado da eleição estadual e que teve ínfima participação na campanha do segundo turno do pleito presidencial no Estado, aproveitou a solenidade para fazer também uma espécie de balanço de seus quatro anos de governo. Em determinado momento, ela chegou a comparar a derrota ao episódio envolvendo o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que acaba de ver o Partido Republicano (de oposição) assumir o controle da Câmara dos Representantes.

A governadora também falou sobre episódios polêmicos de sua administração, entre eles alguns referentes à Operação Rodin, da Polícia Federal, que investigou uma fraude milionária no Detran gaúcho. E, ainda, abordou a Operação Mercari, divulgada durante o processo eleitoral de 2010, e que investigou o desvio de recursos da área de marketing do Banco do Estado do Rio Grande do Sul, o Banrisul.

Yeda e Tarso vêm adotando um tom conciliador quando se referem um ao outro, e a governadora adiantou não se opor que a posse do governador eleito aconteça na manhã de 1º de janeiro, de forma a que ele possa acompanhar, no mesmo dia, a posse de Dilma Rousseff como presidente da República em Brasília. Mas, nesta quinta-feira, Yeda também aproveitou para enviar um recado, quando assegurou que dará prosseguimento a aprovação de projetos e a assinatura de contratos que o PT preferia que ficassem congelados até 2011.

O petista Tarso Genro, eleito governador do Rio Grande do Sul, concedeu entrevista exclusiva ao Terra
O petista Tarso Genro, eleito governador do Rio Grande do Sul, concedeu entrevista exclusiva ao Terra
Foto: Neco Varella/ Agência Freelancer / Especial para Terra
Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade