0

MP denuncia Joaquim Roriz por improbidade administrativa

15 abr 2010
08h29
atualizado às 09h08

O Ministério Público do Distrito Federal denunciou o ex-governador Joaquim Roriz (PSC) e mais cinco pessoas por improbidade administrativa. O grupo é acusado de utilizar o Banco de Brasília para simular uma transação bancária e repassar dinheiro a Roriz em 2007. O MP pede que os investigados devolvam R$ 223 mil aos cofres públicos. Caso seja condenado, Roriz pode perder os direitos políticos, o que impediria que ele participasse de qualquer eleição. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O escândalo foi revelado em julho de 2007 e provocou a renúncia de Roriz ao mandato de senador. Gravações do MP flagraram um diálogo em que o político acerta com o então presidente do Banco de Brasília, Tarcísio Franklim de Moura, o desconto de um cheque de R$ 2,2 milhões da Agrícola Xingu destinado ao empresário Nenê Constantino, um dos donos da empresa aérea Gol. O ex-governador alega que o dinheiro teria origem em um empréstimo de Nenê Constantino para a compra do embrião de uma bezerra. A investigação constatou que o cheque era do Banco do Brasil (BB) e Nenê Constantino não possuía conta no Banco de Brasília. Segundo o MP, o Banco de Brasília foi lesado pelos envolvidos porque não tinha "legitimidade" para descontar um cheque do BB.

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade