0

MP apura fraude em sessão que aprovou mais vereadores em Maceió

25 ago 2011
22h44
atualizado às 22h55
Odilon Rios
Direto de Maceió

O Ministério Público Estadual abriu investigação para apurar uma suposta fraude na primeira votação para aumentar de 21 para 31 o número de vereadores em Maceió. A sessão aconteceu na terça-feira e, dentre 20 vereadores votantes, o placar foi de 14 a 7 pelo aumento de legisladores, em uma soma que supõe o voto de um parlamentar ausente.

"Problema é que surgiu um voto a mais contrário. Ao invés de seis, sete. Como pode ser isso? Um vereador faltou, só havia 20 vereadores, conforme diz a ata. Vinte cédulas foram distribuídas. Como, na contagem final, 21 votaram? Como é que esse voto não surgiu antes? O rato comeu?", ironizou Heloísa Helena (Psol), que tirou fotos da suposta fraude.

O presidente da Câmara, Galba Novaes (PR), reagiu e disse que vai apurar o caso. "Eu votei contra ao projeto. No entanto, estão colocando meu nome junto aos que foram favoráveis. Sei quem mentiu e como cada um se posicionou durante a votação. Vamos estudar todas as possibilidades e, se for confirmada essa suspeita, pode ter certeza que vou anular o projeto", disse.

O Psol e o Movimento Estadual de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) entraram com pedido de abertura de ação civil pública para anular a sessão e apurar quem colocou um voto a mais na urna. O aumento de vereadores ainda não vigora porque precisa passar por uma segunda votação, marcada para a próxima terça-feira. Esta não é primeira vez que a atual legislatura da Câmara enfrenta denúncias de corrupção.

Em março de 2010, o Ministério Público Estadual pediu a demissão de 532 pessoas contratadas sem concurso público. Entre as funções ocupadas por elas estavam as de furadores de papel e assistentes de fotocopiadoras (para uma única máquina), cargos cujos vencimentos variavam de R$ 380 a R$ 3 mil.

Quatro meses depois, o MP descobriu que os vereadores haviam empregado verbas de gabinete com cursos de design de sobrancelha, computação, corte e costura, projeto de controle de pressão arterial e diabetes, curso de oratória, tratamento odontológico e até com shows de bandas de forró.

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade