1 evento ao vivo

Lula diz a senador que é preciso fazer mais pela área da saúde

1 dez 2011
21h10

O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou nesta quinta-feira que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está muito bem. Ele fez uma visita ao colega de partido, que realiza um tratamento contra um câncer na laringe aos cuidados do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. "Lula está muito bem, tão bem que me animou", disse ele, que afirmou ainda que recebeu do ex-mandatário "uma aula de vida". As informações são da Agência Senado.

Lula, laringe, info, infográfico
Lula, laringe, info, infográfico
Foto: Getty Images

Saiba mais sobre os cânceres de Dilma e Lula
Conheça o tratamento e as consequências à saúde de Lula
Lula completa 66 anos: relembre 66 frases memoráveis do ex-presidente

De acordo com o parlamentar, Lula enfrenta os obstáculos com fé, acompanha as notícias e discute política. Ele e o senador Humberto Costa (PT-PE) foram ao hospital levar apoio. Segundo Viana, Lula se mostrou otimista em relação à vida e ao seu tratamento, ao lado de sua mulher e cercado de familiares e amigos. "Claro que é um tratamento doloroso, duro, para enfrentar uma doença complicada. Ele ainda vai ter uma fase delicada no começo do ano, que é a radioterapia, mas como sempre fez na vida, está enfrentando essas dificuldades com fé e confiança" afirmou Viana.

O senador disse ainda que Lula também conversou sobre a saúde no Brasil, dizendo que é preciso fazer mais pelo setor. Segundo ele, o ex-presidente chamou a atenção para o fato de que o atendimento está mais complexo, diversificado e caro. Por isso, é preciso encontrar uma maneira de financiar a área.

O câncer de Lula
Após queixa de dores de garganta, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou uma série de exames na noite de 28 de outubro. Na manhã do dia seguinte, foi divulgado boletim médico do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, informando que foi diagnosticado um tumor maligno na laringe, que seria inicialmente tratado por quimioterapia.

O câncer na região da laringe é mais comum entre homens e o de maior incidência na região da cabeça e pescoço. Os principais fatores que potencializam a doença são o tabagismo e o consumo de álcool. Já os sintomas são: dor de garganta, rouquidão, dificuldade de engolir, sensação de "caroço" na garganta e falta de ar.

Fonte: Terra
publicidade