0

Líder: artigo com conversa de Lula sobre estupro é grosseria

27 nov 2009
13h28
atualizado às 18h52
Laryssa Borges
Direto de Brasília

O líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza (SP), condenou o que classificou de "grosseria" contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo. Assinado por César Benjamin, ex-militante do movimento estudantil e um dos fundadores do PT, o texto afirma que Lula disse ter tentado estuprar um colega de cela mais novo, quando foi preso em 1980.

"Uma agressão desse tipo é uma grosseria tão grande que a gente só pode lamentar. É uma tristeza para o País ter gente que pode descer tanto. É um negócio desqualificado", disse Vaccarezza.

O texto narra uma conversa que o autor diz ter tido com o então candidato à Presidência da República, em 1994. Benjamin afirma que Lula o perguntou quanto tempo teria ficado preso durante a ditadura militar. Surpreendido com a resposta de que o autor passou "alguns anos na prisão", o presidente teria dito: "Eu não aguentaria. Não vivo sem boceta".

Segundo o artigo, a vítima era conhecida por "menino do MEP", em referência a uma extinta organização de esquerda. Benjamin afirma que Lula teria ficado surpreso com a resistência do "menino", "que frustrara a investida com cotoveladas e socos". Segundo o autor do texto, estavam na mesa da conversa o publicitário Paulo de Tarso e o segurança de Lula.

Fonte: Terra
publicidade