0

Barbosa convida Lula para posse na presidência do STF

16 nov 2012
19h27
atualizado às 19h39

O ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa convidou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para sua posse como presidente da Suprema Corte. A informação foi confirmada pelo cerimonial do STF. Barbosa assumirá como mandatário do órgão na próxima quinta-feira, substituindo o colega Carlos Ayres Britto, cuja aposentadoria foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União.

O ex-presidente Lula está em viagem pelos continentes africano e asiático. Nesta sexta-feira, ele se encontrou com o presidente da África do Sul, Jacob Zuma
O ex-presidente Lula está em viagem pelos continentes africano e asiático. Nesta sexta-feira, ele se encontrou com o presidente da África do Sul, Jacob Zuma
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula / Divulgação

O ex-presidente Lula, no entanto, não deverá comparecer à cerimônia. Ele está em uma viagem pelos continentes africano e asiático e deverá retornar ao Brasil apenas em 24 de novembro. A excursão estava programada para acontecer em 2011, mas foi adiada devido ao tratamento do ex-presidente contra o câncer.

No dia da posse de Barbosa, Lula estará na Índia recebendo o prêmio Indira Gandhi. Nesta sexta-feira, o ex-presidente esteve na África do Sul e se encontrou com o presidente do país, Jacob Zuma. Na reunião, que durou cerca de uma hora e dez minutos, Lula reforçou um convite para que Zuma participe do seminário "Novos enfoques unificados para acabar com a fome". O encontro acontecerá nos dias 4 e 5 de março do ano que vem em Adis Abeba, na Etiópia, e conta com o apoio do Instituto Lula.

Além de Lula, Barbosa convidou para sua posse outras personalidades, entre elas a presidente Dilma Rousseff, que confirmou presença no evento. O ministro é o primeiro negro a presidir a mais alta corte do País. Ele foi eleito no dia 10 de outubro. O ministro Ricardo Lewandowski, revisor do mensalão, foi eleito vice-presidente.

Mineiro de Paracatu, Joaquim Barbosa chegou ao Supremo em 2003, indicado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Relator do processo do mensalão, foi o primeiro a votar pela condenação de José Dirceu, o ministro mais poderoso do governo Lula.

Fonte: Terra
publicidade