0

Janot emite parecer contra regime aberto de João Paulo Cunha

12 nov 2014
17h43
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Jo&atilde;o Paulo Cunha, condenado no julgamento do mensal&atilde;o</p>
João Paulo Cunha, condenado no julgamento do mensalão
Foto: Alexandra Martins / Agência Câmara

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal um parecer contrário à concessão de regime aberto para João Paulo Cunha. De acordo com o texto, disponibilizado no site do STF, o ex-deputado, para ter direito à mudança de regime, deve devolver R$ 536.440,55 aos cofres públicos. 

Cunha solicitou a mudança para o regime aberto por ter completado um sexto do tempo de condenação e por ter apresentado bom comportamento na prisão. O pedido ainda deve ser julgado pelo tribunal. 

O ex-deputado foi condenado e preso, em fevereiro deste ano, por corrupção passiva e peculato no processo do mensalão. Em abril, a Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal o autorizou a deixar o presídio durante o dia para trabalhar. 

De acordo com decisão do juiz Vinicius Santos Silva, a proposta cumpriu as exigências legais. "Não é muito lembrar que a concessão do beneplácito neste momento constitui uma possibilidade de se avaliar a disciplina, autodeterminação e responsabilidade do(a) reeducando(a) antes de uma possível transferência para um regime de pena mais avançado", afirmou.

De acordo com a Lei de Execução Penal, condenados em regime semiaberto (abaixo de oito anos) podem trabalhar dentro do presídio, em oficinas de marcenaria e serigrafia, por exemplo, ou externamente, em uma empresa que contrate detentos.

Veja também:

Barroso vê 'motivação política' em ataques contra TSE
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade