0

Gringos terão que bancar preservação da Amazônia, diz Lula

26 nov 2009
15h36
atualizado às 16h19
Arnoldo Santos
Direto de Manaus

O presidente Luis Inácio Lula da Silva resumiu o teor da discussão quevai travar com os presidentes dos países que compõem a AmazôniaInternacional, na tarde desta quinta-feira, em Manaus, durante areunião de Cúpula dos Países Amazônicos. "Que não venha nenhum gringopedir pra gente manter um amazonense morrer de fome embaixo do toco deuma árvore porque não queremos preservar (a floresta). Eles terãode pagar a conta dessa preservação pelo fato de nós não termosderrubado a nossa floresta como eles derrubaram a deles séculosatrás", disse o presidente, em Manaus, durante a inauguração do gasodutoCoari-Manaus.

A reunião entre os chefes de estado tem o objetivo de fechar umconjunto de propostas que serão levadas para a 15ª Conferência dasPartes da Convenção do Clima (COP 15), em Copenhague (Dinamarca), nomês de dezembro. Devem participar dela ao menos seis presidentes sulamericanos e mais o presidente da França, Nicolas Sarkozy. Dos chefes de estado convidados, apenas Hugo Chaves(Venezuela) e Álvaro Uribe (Colômbia) não confirmaram a presença.

O encontro do presidente Lula com o seu colega, Nicolas Sarkozy, daFrança, está programado para o início da noite de hoje. A fala do presidente Lula durante a inauguraçao do gasoduto mostrou uma das idéias que o Brasil defenderá na COP 15: a vontade de uma compensaçãofinanceira internacional pela preservação da floresta.

O assunto promete render discussões porque não atingiu todo o consenso. "Um dos problemas maiores é quantificar estes valores e instituir uma forma legal que seja obedecida pelos países", disse a secretária de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, Nádia Ferreira.

O gasoduto
A obra custou R$ 4,5 bilhões, tem 661 km de extensão e vai levar gás natural da estação petrolífera do Urucu, no município de Coari, para a capital amazonense.

A chegada do gás a Manaus vai proporcionar a mudança da matriz energética da cidade. Atualmente, a produção de energia em Manaus é feita a base da queima de óleo diesel. A primeira unidade a receber o gás de Urucu é a Refinaria de Manaus (Reman) que vai consumir 77 mil m³ por dia.

Lula e Sérgio Gabrielli observam as caricaturas que receberam em Manaus
Lula e Sérgio Gabrielli observam as caricaturas que receberam em Manaus
Foto: Ricardo Stuckert/PR / Divulgação
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade