Política

publicidade
03 de julho de 2012 • 09h51 • atualizado às 10h25

Foto com modelo sem calcinha quase causou renúncia de Itamar

 

Documentos da antiga Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), liberados na segunda-feira no Arquivo Nacional, revelam que, em 1994, foi cogitada a renúncia do então presidente da República, Itamar Franco - morto aos 81 anos, em 2 de julho de 2011 -, por causa de uma foto tirada do político ao lado da modelo Lilian Ramos que estava sem calcinha. O registro, feito no Sambódromo do Rio de Janeiro durante o Carnaval, foi classificado no relatório como um "escândalo", que "repercutiu negativamente, atingindo a credibilidade do chefe do Executivo em vários setores da sociedade". As informações são do jornal O Globo.

Saiba o que é e como funciona a Lei de Acesso à Informação

O documento, intitulado "Especulações a cerca de pretensa intenção de renúncia presidencial, perspectivas e suas implicações a curto prazo", prevê que a saída do presidente traria consequências negativas para o plano econômico e para a revisão constitucional. Citando sua "aproximação com a esquerda", outros relatórios apontam Itamar como uma preocupação para o então presidente Fernando Collor de Melo, de quem era vice. A citação ocorreu durante a crise que levou Collor ao impeachment. "Os partidos de oposição ao governo apoiam o vice Itamar Franco, dando início à discussão da transição", diz o documento.

Terra