8 eventos ao vivo

Ex-governador Marcello Alencar morre aos 88 anos no Rio

10 jun 2014
08h05
atualizado às 10h48
  • separator
  • comentários

O ex-governador do Rio de Janeiro Marcello Alencar morreu na madrugada desta terça-feira, em sua casa no bairro de São Conrado, na zona sul do Rio. Alencar morreu por volta das 4h20 por complicações de saúde provocadas por três AVCs.

Ex-governador morreu na madrugada desta terça, no Rio de Janeiro
Ex-governador morreu na madrugada desta terça, no Rio de Janeiro
Foto: Divulgação

Por meio de seu perfil no Facebook, o deputado estadual Luiz Paulo (PSDB) lamentou a morte do político. O PSDB-RJ também se comunicou pelas redes sociais, e definiu o ex-governador como "um grande brasileiro"

Alencar tinha 88 anos e governou o Rio de Janeiro entre 1995 e 1999. Ele nasceu no Rio de Janeiro, em 1925. Advogado, foi senador pelo MDB entre setembro e dezembro de 1967, ao substituir interinamente o senador Mário Martins, de quem era suplente.

Dois anos depois, o Ato Institucional 5 (AI-5) cassou seu mandato e seus direitos políticos por dez anos. Filiado ao PDT, foi nomeado prefeito do Rio de Janeiro em 1983 pelo então governador fluminense Leonel Brizola e exerceu o mandato até 1986. Em 1989, voltou à prefeitura da cidade através do voto direto, onde ficou até 1992. Ele ainda foi presidente do PSDB do Rio por duas vezes. 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, lamentou a morde do ex-governador por meio de nota. Veja o comunicado:

"O Rio perdeu hoje um de seus filhos mais ilustres. Marcello Alencar marcou seu nome na história de nosso país. Como advogado, lutou contra a ditadura defendendo presos políticos. Duas vezes prefeito do Rio, saneou as contas do município e transformou a paisagem da Cidade Maravilhosa. Como governador, abriu vias importantes e ampliou o metrô deixando um legado de desenvolvimento. Para mim, foi uma referência e uma inspiração desde o início da minha vida pública. É um dia de tristeza para a família, amigos e todos os cariocas

 

 “Ele enfrentou, ao longo da vida, muitos problemas de saúde e sempre se recuperou. Teve três AVCs (acidentes vasculares cerebrais) e passou por cirurgias importantes. Ele deixa todo um histórico de um carioca apaixonado pela cidade, de homem público, apaixonado pela coisa pública. Era uma referência. Era chamado de prefeito das ruas. Ia para os lugares, ouvia as pessoas”, disse Leite.

O corpo de Marcello será cremado em cerimônia familiar logo após o velório.

Com informações da Agência Brasil

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade