0

Em convenção tucana, Alckmin nega desunião no partido

Convenção elegeu o deputado federal Duarte Nogueira como o novo presidente estadual da sigla para o próximo dois anos

5 mai 2013
19h07
atualizado às 19h10
  • separator
  • 0
  • comentários

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou em seu discurso na convenção do PSDB, que escolheu o novo presidente estadual da sigla para os próximos dois anos, neste domingo, que as pessoas que afirmam haver desunião entre os tucanos estão erradas. “Aqueles que pregarem desunião vão errar redondamente”, afirmou o tucano. 

Governador Geraldo Alckmin vota na convenção do PSDB, que irá escolher o novo presidente estadual tucano em São Paulo para os próximos dois anos
Governador Geraldo Alckmin vota na convenção do PSDB, que irá escolher o novo presidente estadual tucano em São Paulo para os próximos dois anos
Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press

O discurso de união de Alckmin ocorre após dificuldades encontradas no entendimento de alas do partido no Estado. Na eleição do diretório municipal tucano em São Paulo, o vereador serrista Andrea Matarazzo foi derrotado, mesmo com o apoio manifesto do governador. A situação gerou indisposição e suspeitas de que Alckmin não teria se empenhado totalmente na eleição de Matarazzo. 

A eleição estadual também foi marcada pela desistência do deputado estadual Pedro Tobias, que presidiu o partido até este domingo, da disputa após intervenção de Alckmin e do presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE). 

Tobias tentou mudar as regras da eleição, ampliando o universo de votantes permitindo que militantes e não só delegados tivessem poder de voto. A medida não foi aceita e, com esse argumento, ele retirou sua candidatura. 

Com a desistência de Tobias, o nome do deputado federal Duarte Nogueira apareceu com favoritismo na disputa. Neste domingo, a legenda oficializou sua escolha, na convenção realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). 

Ex-secretário de Agricultura e Abastecimento no governo Alckmin, Nogueira tem também respaldo no grupo de José Serra. Sua escolha pode colaborar na manutenção do ex-governador no partido. 

Com a possível escolha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) como candidato tucano à presidência em 2014, especula-se que Serra possa deixar o PSDB rumo à MD (Mobilização Democrática), criada após a fusão de PPS e PMN. 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade