2 eventos ao vivo

"Vamos falar de São Paulo?", brinca Soninha em entrevista

21 set 2012
13h26
atualizado às 13h33

A candidata do PPS à prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, em entrevista ao SPTV, da Rede Globo, afirmou que os acordos entre parlamentares para votar determinados projetos acontecem e que nada vai à votação sem que haja uma combinação prévia. Para ela, contudo, o parlamentar deve fazer isso sempre pautado no interesse público. "Fazer isso para planos de interesse da região que representa", exemplifica a candidata.

Russomanno posa para foto com o mascote do candidato a vereador Antonio D'Agosto (PRB), conhecido como 'Vira Lata'
Russomanno posa para foto com o mascote do candidato a vereador Antonio D'Agosto (PRB), conhecido como 'Vira Lata'
Foto: Léo Pinheiro / Terra

Conheça os candidatos a vereador e prefeito de todo o País
Acompanhe as pesquisas eleitorais
Veja o cenário eleitoral nas capitais
Confira quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras

Soninha começou em tom de descontração ao perguntar "vamos falar de São Paulo?" em referência a entrevista do candidato Celso Russomano, desta quinta-feira. Ele se sentiu incomodado com perguntas e tentou sair da situação com essa frase. Logo o apresentador e jornalista César Tralli emendou a primeira pergunta um pouco desconcertado.

A candidata foi questionada sobre o escândalo recente de que vários shoppings em São Paulo estavam em situação irregular com a prefeitura, dentre eles, alguns na região da Lapa, na qual Soninha era subprefeita. Ela explicou que as subprefeituras têm competência para fiscalizar empreendimentos com metragem pequena, e que grandes obras, como os shoppings eram de responsabilidade da Secretaria da habitação.

Ela aproveitou para criticar o tempo e as idas e vindas nos tramites dos processos na prefeitura. Para ela, a burocracia facilita a atuação de pessoas mal-intencionadas. Ela defendeu ainda a informatização dos pedidos para possibilitar o acompanhamento pela internet pelo cidadão. Soninha destacou que tudo deve ser repensado para facilitar a fiscalização.

Soninha defendeu também o planejamento e construção de espaços para os ciclistas. Ela reforçou que esses projetos precisam ser repensados e planejados, levando em conta o "roteiro das pessoas". Além disso, ela falou que os corredores de ônibus também precisam ser revistos para funcionarem melhor.

Soninha também criticou o rodízio de caminhões imposto pela prefeitura atualmente. Ela disse que o caminhoneiro "não está a passeio na cidade, mas trabalhando, prestando serviço para a população". Segundo ela, essa restrição deveria aumentar para carros particulares. A candidata disse que o rodízio prejudica os comerciantes e a população.

Neste sábado, o jornal irá entrevista o candidato do PT, Fernando Haddad.

Fonte: Terra
publicidade