PUBLICIDADE

Vaccarezza quer evitar que PT crie dificuldades com ministérios

1 nov 2010 14h15
Publicidade
Laryssa Borges
Diretor de Brasília

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou nesta segunda-feira (1º) que pretende se empenhar para evitar que o Partido dos Trabalhadores (PT) não crie eventuais dificuldades na formação do novo grupo ministerial da presidente eleita Dilma Rousseff.

Nessas eleições, os petistas formaram uma grande aliança com o PMDB, que apresentou Michel Temer como vice-presidente, além de outros oito partidos políticos que integraram a coligação dilmista. O apetite por cargos das legendas que fizeram parte da campanha deverá ser administrado pelo novo governo.

"A Dilma é quem tem autoridade para compor o governo. Vou trabalhar para que o PT não crie nenhuma dificuldade e para que o que a Dilma escolher tenha nosso integral apoio", disse o parlamentar. "Ela terá sabedoria de procurar quadros para compor o governo. Nosso trabalho é dar tranquilidade e sustentação a seu governo", completou.

Controle do Congresso Nacional
Apontado como um dos possíveis candidatos a novo presidente da Câmara dos Deputados, Vaccarezza disse esperar que até o fim de novembro o PT decida o nome do candidato a disputar o cargo. Seu potencial adversário é o deputado peemedebista Henrique Eduardo Alves (RN).

"Quero ser um elemento de composição, acordo e ajuda. Não serei um candidato, acordo e ajuda. Não serei um candidato dividindo o PT ou da base aliada. Temos até o fim de novembro para decidir", opinou, ao ser favorável à alternância entre PT e PMDB nas presidências da Câmara e do Senado.

"O desejável é que o PT assuma a presidência e os partidos, de acordo com sua votação, ocupem os demais cargos. Acho que não deve haver uma disputa entre o PT e o PMDB", afirmou.

Fonte: Terra
Publicidade