PUBLICIDADE

"Temos de conversar, abrir o diálogo", diz Eduardo Campos

1 nov 2010 10h59
| atualizado às 11h13
Publicidade
Bob Fernandes

O governador de Pernambuco reeleito há um mês, Eduardo Campos (PSB), conseguiu no segundo turno uma segunda grande vitória. O PSB, partido que preside, elegeu outros três governadores e tem agora seis em todo o País. Na madrugada desta segunda-feira (1), em conversa com o Terra, Eduardo Campos propôs novo diálogo com a oposição, após uma campanha marcada por agressões.

"A campanha foi muito dura, muito azeda. É hora de conversar, de baixar a temperatura", disse o governador pernambucano. "Temos que procurar o Aécio, o Beto Richa, o Teotônio e outros, temos que nos abrir, todos nós, abrir o diálogo, a participação."

Eduardo Campos teve, no primeiro turno, uma vitória extraordinária na sua reeleição para o governo do Estado. Venceu em todos os 184 municípios de Pernambuco. Em um destes municípios, Granito, ele só não teve o voto de 23 dentre mais de 5 mil eleitores.

Nos anos 80, ambos com vinte e poucos anos, Eduardo Campos e Aécio Neves secretariavam seus avôs, duas figuras lendárias da política brasileira, Miguel Arraes e Tancredo Neves, respectivamente. Desde então, cada qual a sua maneira, ambos criaram caminhos que agora, fechadas as urnas de 2010, os transportam para o centro da arena política, um na situação, outro na oposição.

Eduardo Campos encerrou a conversa com o Terra falando sobre o discurso de Serra no domingo (31) à noite. "Ele se colocou de novo na luta", afirmou. "Como se diz no Nordeste, ele quer continuar incomodando os eleitores."

Confira a entrevista:

Terra: Governador, antes de mais nada, uma rápida análise sobre o seu partido, o PSB, que cresceu.
Eduardo Campos: Sim, o PSB mudou de patamar, fizemos seis governadores. Isso é consequência do êxito das administrações do nosso partido, consideradas boas e inovadoras. É bom para o Brasil, amplia o leque de opções partidárias...

Terra: Há três semanas conversamos no Recife e você disse que passada a eleição seria hora de "juntar os bons". O que, exatamente, quis dizer com isso?
Eduardo Campos: A presidente Dilma falou nesse mesmo caminho em seu discurso de agradecimento. A campanha foi muito dura, muito azeda. É hora de conversar, de baixar a temperatura.

Terra: Ok, mas "juntar os bons" chega até onde?
Eduardo Campos: Temos que procurar o Aécio, o Beto Richa, o Teotônio, temos que nos abrir, todos nós, abrir o diálogo, a participação.

Terra: Participação?
Eduardo Campos: Participação, senão com cargos, com ideias e sugestões. Você ouviu o discurso da presidente Dilma, ela falou em um governo profissionalizado.

Terra: E você ouviu o discurso do Serra?
Eduardo Campos: Sim, ele se colocou de novo na luta. Como se diz no Nordeste, ele quer continuar incomodando os eleitores, pedindo votos.

Eduardo Campos foi eleito governador de Pernambuco no primeiro turno
Eduardo Campos foi eleito governador de Pernambuco no primeiro turno
Foto: Juliana Leitão/DA Press / Especial para Terra
Fonte: Terra Magazine
Publicidade