0

SP: Soninha vai pedir o apoio de Marina Silva na quinta

10 jul 2012
08h21
atualizado em 11/7/2012 às 07h15

Renan Truffi
Direto de São Paulo

A candidata do PPS à prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, confirmou que vai aproveitar o lançamento da candidatura de Ricardo Young (PPS-SP), marcado para esta quinta-feira, dia 12, para pedir pessoalmente o apoio da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva.

Veja o cenário eleitoral nas capitais

"Eu vou falar com ela agora no evento de lançamento da candidatura do Ricardo Young. Vou perguntar. Preciso oficializar isso. Não posso achar que está implícito (que eu quero o apoio dela). Então, já passou da hora. Vou aproveitar essa agenda do nosso candidato a vereador e correr o risco de tomar um toco", brinca.

Soninha conversou com a reportagem do Terra quando voltava, nesta segunda-feira, de uma agenda de campanha na Brasilândia, zona norte de São Paulo. Apesar de estar empolgada com a possibilidade de fazer o convite, a candidata é "bem pouco otimista".

"Assim, eu sempre me preparo para o pior. Sou bem pouco otimista. Acho que é bem provável que a Marina prefira não declarar apoio a ninguém e se mantenha neutra. E eu vou ficar muito triste se isso acontecer."

Veja como foi a conversa com a candidata do PPS:

Você falou com a Marina Silva sobre um possível apoio para sua candidatura?
A gente foi muito atrás dela. A gente, o partido. Formalmente, nós convidamos os "marineiros" a se filiar ao PPS, mesmo sabendo que depois fundariam um partido. A gente se identifica com a pauta. Só faltou implorar para eles (marineiros) virem. Ai o Ricardo (Young) veio. (Ele) veio supercuidadoso porque só o fato dele se filiar fez com que uma parte do movimento nova política repudiasse isso. Então, ele foi corajoso. Tinha gente ali condenando. E, desde o começo, a Marina disse que ela iria apoiá-lo. Mas isso nunca me incluiu. Então, eu fui a várias reuniões do movimento nova política porque a Marina iria estar lá. A gente estava ali o tempo todo tipo: "queremos você". Agora, eu nunca sentei com ela (para falar sobre isso). Sentei do lado dela uma vez, em um restaurante em Belo Horizonte, e ficamos conversando sobre política. Mas, a gente nunca chegou para ela e falamos: "Marina, queremos que você declare voto em mim".

Por quê?
É que eu achei que estava evidente. Não pedi porque fico ridiculamente encabulada, o que é uma coisa absurda para quem é candidato. Um pouco do meu "encabulamento" também é por medo do não, sabe. Mas, eu vou falar com ela agora, no evento de lançamento da candidatura do Ricardo Young. Vou perguntar. Ele convidou todo mundo do PPS e a Marina. Então, eu vou lá e preciso oficializar isso. Não posso achar que está implícito (que eu quero o apoio dela). Até porque a própria Marina disse isso, recentemente, numa entrevista. Ela disse: "ninguém me procurou ainda¿. Ai eu pensei: "como assim, ninguém procurou ela ainda". Eu até briguei lá no PPS. Falei: "não fica tão em cima dela". Então, já passou da hora. Vou aproveitar essa agenda, do nosso candidato a vereador Ricardo Young, e correr o risco de tomar um toco. Assim, as pessoas já me vieram tanto me pedir apoio.

Quem?
O (Celso) Russomanno já convidou: "a gente podia estar juntos". Mas eu respondi: "quero ser prefeita". O PSDB, lá atrás, sondou o (presidente do PPS) Roberto Freire se eu apoiaria o Serra, caso ele saísse para prefeito: "vocês não abrem mão da prefeitura?". Agora, ela (Marina) que se prepare. Não é uma emboscada. Eu vou estar lá e vou perguntar: Marina, você quer casar conosco? (risos) Assim, eu sempre me preparo para o pior. Vai sair uma pesquisa de intenção de voto e eu sempre penso: vou cair. Essa coisa de pensamento positivo para mim não funciona muito. Sou bem pouco otimista. Acho que é bem provável que a Marina prefira não declarar apoio a ninguém e se manter neutra. E eu vou ficar muito triste se isso acontecer.

Por quê? Você acha que vocês têm ideias parecidas?
Eu sempre defendi a Marina porque o PT escanteava a Marina enquanto ministra. Eu, quando era vereadora, entrei com uma representação na executiva do partido e nunca tive resposta. Quando a Marina era ministra do Meio Ambiente ela foi discutir uma exploração no Pantanal. E o Zeca do PT a desqualificou em público. Não foi fofoquinha de bastidor: "a Marina Silva entende de Amazônia. De Pantanal, ela não entende nada". Porra, ela é ministra do PT no nosso governo e vai o governador do partido ter essa conduta. Eu representei na executiva: "escuta, isso não é, sei lá, uma infração ética?". Então sempre gostei da Marina. Então, tenho uma identificação de pauta há muito tempo que é meio ambiente. E uma identificação dessa postura contra a maré. Ela estava no governo e resolveu sair, sabe. São gestos na contra corrente. Então eu gosto muito da Marina e, para mim, ela deveria gostar mais da minha candidatura do que da dos outros. Se ela disser que vai ficar neutra, é triste, porque é ela avaliar que não tem diferença nas nossas candidaturas. E, para mim, é tão claro que tem.

A candidata a prefeita disse ser pouco otimista e tem medo de que Marina não declare apoio a ninguém
A candidata a prefeita disse ser pouco otimista e tem medo de que Marina não declare apoio a ninguém
Foto: Léo Pinheiro / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade