PUBLICIDADE

SP: 'se o Serra se candidatar de novo, eu mato ele', diz Soninha

18 out 2012 22h57
| atualizado às 23h01
Publicidade
Dassler Marques
Renan Truffi
Thiago Tufano
Direto de São Paulo

Derrotada no primeiro turno das eleições municipais, a candidata do PPS à prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, defendeu na noite desta sexta-feira o candidato do PSDB, José Serra, pelo fato dele não ter cumprido todo o mandato, uma vez que em 2006, o tucano deixou o cargo de prefeito para disputar o governo do Estado de São Paulo. Soninha disse que "acredita" que Serra tinha mesmo a intenção de cumprir a gestão até o fim, mas brincou quando questionada sobre a possibilidade dele repetir a estratégia.

O candidato tucano à prefeitura de São Paulo conversa com repórteres antes do debate, na sede da Band
O candidato tucano à prefeitura de São Paulo conversa com repórteres antes do debate, na sede da Band
Foto: Adriano Lima / Terra

Consulte os candidatos a prefeito em todo o País
Veja os salários dos prefeitos e vereadores das capitais

"Se ele sair candidato de novo daqui a dois anos, eu mato ele. Eu acredito realmente que quando ele assinou o papel, ele pretendi ficar no cargo. Mas, (ele) foi convidado insistentemente pelo PSDB para disputar o governo do Estado (na época). Chamar ele de fujão é inacreditável. Ele foi ser governador", disse em referência às críticas feitas pelo adversário Fernando Haddad, candidato do PT.

Aliada de Serra no segundo turno, Soninha conversou com a imprensa antes do início do debate na TV Bandeirantes. Ela contou que fica "mais nervosa" quando tem que assistir ao encontro do que quando participa como candidata. "Eu espero não passar nervoso. Fico muito mais nervosa quando assisto do que debatendo", afirmou.

Fonte: Terra
Publicidade