1 evento ao vivo

Russomanno afirma que irá descobrir 'mistérios' no transporte em SP

29 ago 2012
16h27
atualizado às 16h44

O candidato à prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (PRB) afirmou nesta quarta-feira, em entrevista a TV Estadão, que irá desvendar os "mistérios" das empresas de ônibus na capital paulista e descobrir a razão pela qual o repasse das passagens para empresas é maior do que para as cooperativas na cidade.

Veja o cenário eleitoral nas capitais
Veja os salários dos prefeitos e vereadores das capitais

Russomanno, que tem evitado se envolver em polêmicas ao longo da campanha, disse que não sabe se há uma "máfia", mas garantiu que fará o sistema de transporte público na capital funcionar.

Questionado sobre a arrecadação de recursos para sua campanha, o candidato assumiu que vem enfrentando dificuldades em conseguir verbas que banquem a sua candidatura, e que seu bom desempenho nas pesquisas de intenção de votos não alterou consideravelmente a situação.

Russomanno, porém, disse que foi procurado por empresas que fizeram doações "pequenas", e afirmou que não pretende receber recursos de empresas ligadas ao transporte e ao lixo na cidade, já que irá rever os serviços prestados. "Quem quiser me dar apoio, vai ser na construção de um novo modelo."

"A gente tem poucos recursos, estamos tentando buscar. Em determinados segmentos, não vamos buscar recursos, porque determinadas coisas não aceito, como péssimo serviço de transporte público. Não quero apoio de determinadas prestações de serviços", declarou.

Segurança
Apesar de a segurança não ser responsabilidade direta da prefeitura, Russomanno afirmou que pretende tomar atitudes, como melhorar a iluminação da cidade e investir em projetos de monitoramento, além de investir na Guarda Civil Metropolitana para combater a criminalidade na cidade.

O candidato afirmou que a Guarda Civil poderá usar de seu direito de realizar revistas e apreender itens de procedência ilegal, como produtos roubados, ou drogas, por exemplo, para ajudar a Polícia Militar, de responsabilidade do governo do Estado. Questionado sobre um possível aumento no número de relatos de abusos da Guarda Civil, Russomanno disse que "a gente tem que decidir se quer segurança ou não."

Denúncias
Sobre as denúncias que saíram a seu respeito nos jornais, como de que teria privilegiado o dono da empresa de bebidas Dolly, que é sócio em sua produtora, de que teria envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, de que teria gasto verbas destinadas a seu gabinete de deputado federal para viagens com passagens para sua família e também de que teria pago uma funcionária de sua empresa com verbas de seu gabinete na Câmara, o candidato se mostrou tranquilo e negou todas as acusações.

Além disso, Russomanno disse que gostaria de depor para esclarecer os fatos, e afirmou que está processando o jornal Correio Braziliense, responsável pela denúncia de sua suposta ligação com o esquema do bicheiro. "Isso é o lixo da política", afirmou.

Celso Russomanno (PRB) evitou polêmicas, e preferiu não dizer se existem máfias no transporte em São Paulo. O candidato, porém, afirmou que descobrirá os 'mistérios' da pasta, se eleito
Celso Russomanno (PRB) evitou polêmicas, e preferiu não dizer se existem máfias no transporte em São Paulo. O candidato, porém, afirmou que descobrirá os 'mistérios' da pasta, se eleito
Foto: Léo Pinheiro / Terra
Fonte: Terra
publicidade