1 evento ao vivo

Rádio: com Dilma, Lula, Alckmin e FHC, Haddad e Serra se despedem

26 out 2012
07h25
atualizado às 07h35

No último dia de propaganda eleitoral transmitida no rádio, Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB) agradeceram o apoio, pediram votos e fizeram um resumo de suas propostas para a capital. O programa petista contou com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff (ambos do PT); já o programa tucano teve depoimentos do governador Geraldo Alckmin e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (ambos do PSDB).

Consulte os candidatos a prefeito em todo o País
Veja os salários dos prefeitos e vereadores das capitais

Na propaganda petista, os narradores Celina e Luciano se despediram e o próprio Haddad apresentou o programa. "Fizemos uma campanha do jeito que eu gosto, com a união de pessoas em favor das ideias", disse ele, antes de fazer um resumo das propostas, como a criação de três hospitais e da rede Hora Certa, além de plano de carreira para médicos. Haddad afirmou também que vai manter a parceria com as Organizações de Saúde (OSs).

No transporte, o candidato prometeu 150 quilômetros de corredores de ônibus e outros 150 de faixas exclusivas, assim como a implantação do Bilhete Único Mensal. A criação de 172 creches e 20 CEUs, assim como 31 pólos da Universidade Aberta do Brasil, foram debatidas. O petista afirmou que vai oferecer pós para professores, construir 55 mil novas moradias, urbanizar favelas e ampliar saneamento e coleta seletiva.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff participaram do programa. "A maioria dos paulistanos descobriu algo que eu já sabia: Haddad é o melhor candidato", disse o ex-presidente. "Com Haddad na prefeitura, São Paulo vai mudar para valer. Ele será um sopro de renovação na política brasileira", afirmou Dilma, que pediu votos para Haddad.

"Fui o único candidato a apresentar um plano de governo completo", disse o petista, antes de apresentar mais propostas para a cidade, como a criação de uma nova avenida para desafogar a Marginal Tietê e a implantação do Parque Tecnológico do Jaguaré.

Por fim, Haddad agradeceu o apoio e disse estar "pronto para fazer São Paulo ser mais forte e mais justa". "Prometo honrar (o voto) até o último segundo do meu mandato", disse ele.

Já o programa de José Serra começou atacando o adversário ao dizer que ele irá acabar com as parcerias das OSs e criticando o Bilhete único Mensal, proposta do adversário. Serra então apresentou a ideia de Bilhete Único de 6 horas, que, como o nome diz, vai durar pelo dobro do tempo atual.

Serra agradeceu o "carinho", e disse ter boas propostas para a cidade, que elogiou: "São Paulo está longe de ser a tragédia que Haddad mostra".

Propostas do tucano foram apresentadas, como a criação de 30 AMAs (Assistências Médicas Ambulatoriais) 24 horas, 10 AMAs especialidades e 7 AMEs, além de quatro novos hospitais e ampliação do programa Remédio em Casa. A criação da Protec, bolsa para quem não consegue vagas em Etecs, e de novas estações de metrô também foram debatidas. A propaganda tucana prometeu transformar 200 favelas em bairros.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) participou do programa de Serra, elogiando a parceria entre governos municipal e estadual. "(Vamos trabalhar) sempre afinados, sem diferenças administrativas ou partidárias", disse ele. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também deu um depoimento de apoio ao tucano. "Eu sou testemunha de seu espírito jovem, de sua criatividade", disse ele.

Fonte: Terra
publicidade