Eleições

publicidade
02 de agosto de 2010 • 14h12 • atualizado às 14h43

PSDB perdeu o controle do sistema prisional, diz Mercadante

O candidato ao governo de São Paulo Aloizio Mercadante (PT) visitou o comércio do Capão Redondo, na zona sul da capital
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
 
Vagner Magalhães
Direto de São Paulo

O candidato do PT ao governo do Estado de São Paulo, Aloizio Mercadante, afirmou nesta segunda-feira, no bairro do Capão Redondo, na capital paulista, que o governo do PSDB perdeu o controle do sistema prisional paulista. O candidato não quis fazer menção aos episódios da madrugada do último domingo, quando o batalhão da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) foi atingido por tiros e o tenente-coronel Paulo Telhada teve o seu carro alvejado, mas saiu ileso.

"Não quero falar dos indícios de um novo ataque às forças de segurança do Estado. Mas não é de hoje que o governo do PSDB perdeu o controle do sistema prisional aqui em São Paulo. Estamos à véspera do indulto do Dia dos Pais e é preciso atenção redobrada neste momento", afirmou.

Segundo Mercadante, já era hora de São Paulo ter introduzido o controle eletrônico dos presos, em casos como os de indulto. "A situação em São Paulo é hoje muito defasada. Não há um controle efetivo dos presos, a aplicação de penas alternativas é mínima e há um descaso com a carreira de policiais e homens do sistema carcerário. Podemos aplicar em São Paulo o mesmo plano de inteligência que foi adotado pela Polícia Federal", disse.

Mercadante afirmou que em um eventual governo irá adotar o sistema que é aplicado no Rio de Janeiro, das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), a serem instaladas em áreas de maior concentração de violência.

O candidato disse que também irá dar contrapartidas ao municípios que receberem novos presídios, como reforços nas áreas de saúde e educação.

"Hoje não há contrapartidas e há lugares em que a população de presos já superou a dos habitantes das cidades. Os presos usam o sistema de saúde, muitas famílias se mudam para as cidades e as prefeituras não têm nenhuma contrapartida, enquanto observam os seus custos aumentarem."

Ao lado da candidata ao Senado da coligação, Marta Suplicy, Mercadante visitou o comércio do Capão Redondo, na zona sul de São Paulo.

Terra