1 evento ao vivo

Pré-candidato com 52% dos votos, Serra prega unidade e ataca PT

25 mar 2012
18h20
Marina Novaes
Direto de São Paulo

Escolhido pelo PSDB para concorrer à prefeitura de São Paulo, o ex-governador José Serra defendeu, no final da tarde deste domingo, a unidade na legenda, e negou a existência de um "racha", apesar da disputa interna com os adversários José Aníbal, secretário estadual de Energia, e Ricardo Tripoli, deputado federal. Serra recebeu 52,1% dos votos - índice bem abaixo do esperado pelos aliados do tucano, que apostavam em uma vitória de "lavada".

Conheça prévias históricas que abalaram partidos

"A partir de hoje, uma só voz, um só trabalho e a vitória para o povo de São Paulo", discursou o tucano, que recebeu o apoio dos pré-candidatos derrotados, e do governador Geraldo Alckmin e do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso. Serra minimizou o fato de estar à frente da disputa eleitoral - segundo a última pesquisa Datafolha, tem 30% das intenções de voto -, e preveu que terá uma "campanha difícil" pela frente. Em seu discurso, atacou o PT, sem citar o nome do adversário Fernando Haddad, a quem acusou de usar a máquina pública para "agradar seus aliados".

"A eleição aqui é uma eleição local, os temas debatidos serão temas locais. Muitos candidatos tentarão sair disso, por não conhecer ou por não ter propostas concretas", disse, em referência ao rival petista, ex-ministro da Educação. "Eles (os petistas) se especializam na gritaria, na conversa mole, no uso da máquina pública para servir a aliados e a um partido. Nós nos especializamos no interesse público", disse.

O tucano também tentou colar sua imagem à do governador Alckmin, defendendo uma "parceria" com o tucano, caso seja eleito - embora não seja segredo a rivalidade entre os dois nos bastidores da legenda. "O parceiro do José Serra será o Geraldo Alckmin, (...) uma parceria que já temos há muitos anos. Uma parceria crucial", declarou.

O ex-governador disse ainda ter aceito ser pré-candidato a pedido de Alckmin, por sentir "gosto" pela administração municipal. "Eu não era candidato. Quando decidi ser, fui candidato por dois motivos: a necessidade política e o gosto por São Paulo, o gosto antecipado pela administração de São Paulo", afirmou.

Serra discursa após anúncio da vitória em prévia
Serra discursa após anúncio da vitória em prévia
Foto: Bruno Santos / Terra
Fonte: Terra
publicidade