2 eventos ao vivo

PR: Primeira-dama e Gleisi devem fortalecer candidaturas na capital

15 ago 2012
18h06
atualizado às 18h14
Roger Pereira
Direto de Curitiba

A primeira-dama do Paraná, Fernanda Richa, pediu exoneração do cargo de secretária estadual da Família e Desenvolvimento Social, nesta quarta-feira. Apesar de não ter sido apresentada uma justificativa oficial para a saída, Fernanda teria sido convocada pelo PSDB a trabalhar integralmente na campanha de reeleição do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB).

Fernanda Richa se exonerou do cargo de secretária nesta quarta-feira
Fernanda Richa se exonerou do cargo de secretária nesta quarta-feira
Foto: Divulgação

Veja o cenário eleitoral nas capitais
Veja quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras

Bastante conhecida na capital, a primeira-dama do Estado é vista como uma das principiais puxadoras de voto para Ducci, principalmente na periferia da cidade, entre os mais pobres. Presidente da Fundação de Ação Social (FAS) do município durante a gestão de seu marido, Beto Richa (PSDB), à frente da prefeitura da capital, Fernanda tem presença forte nas camadas sociais mais baixas, um dos pontos fracos de Ducci.

"(Estarei) de corpo e alma (na campanha de Ducci) para dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado em Curitiba, uma cidade que é referência e que está cada dia melhor, porque o poder público tem trabalhado muito pelas pessoas que precisam e não é à toa que Curitiba foi a cidade que mais retirou pessoas da pobreza e da miséria nos últimos anos", declarou Fernanda, cuja atitude pode ser repetida por outros secretários municipais, que podem deixar seus cargos para se concentrar na campanha eleitoral.

Do outro lado, a campanha de Gustavo Fruet (PDT) já prepara o antídoto à adesão definitiva de Fernanda Richa à campanha de Ducci. A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), estreia, no próximo dia 25, na campanha do pedetista. A participação de Gleisi foi definida estrategicamente para coincidir com o início do horário eleitoral gratuito nas emissoras de rádio e televisão, que será exibido a partir do dia 21. Gleisi e seu marido, Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, foram os principais articuladores da aliança entre o PDT e o PT na capital.

Entre as atividades conjuntas previstas, Gleisi irá participar de caminhadas na região Sul da cidade, além de aparecer no programa eleitoral do pedetista. Sua presença é considerada um reforço de peso para a campanha do pedetista que, depois de liderar as pesquisas de intenções de votos no ano passado, está empatado tecnicamente com os adversários, Luciano Ducci (PSB) e Ratinho Junior (PSC) nas pesquisas de intenções de votos.

Gleisi e Gustavo foram os candidatos ao Senado mais votados em Curitiba, nas eleições de 2010. Na ausência de estrelas do PT como o ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff, Gleisi é apontada como o cabo eleitoral mais eficiente para Gustavo conquistar votos na cidade.

Fonte: Especial para Terra
publicidade