2 eventos ao vivo

PDT nacional desautoriza Paulinho e declara apoio a Haddad em SP

16 out 2012
17h46
atualizado às 18h00

A direção nacional do PDT reverteu nesta terça-feira a decisão do diretório estadual da legenda em São Paulo e anunciou apoio do partido à candidatura do petista Fernando Haddad no segundo turno da eleição para prefeito da capital paulista, cinco dias depois do anúncio do PDT local de apoiar o tucano José Serra.

O candidato afirma que o incentivo fiscal é suficiente para trazer empresas para os bairros, para "perto das pessoas"
O candidato afirma que o incentivo fiscal é suficiente para trazer empresas para os bairros, para "perto das pessoas"
Foto: Edson Lopes Jr. / Terra

Confira quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras

A direção nacional do partido, que tem cargos tanto no governo da presidente Dilma Rousseff quanto na administração do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que o apoio a Haddad se devia ao fato de ele representar "bandeiras do trabalhismo".

"A direção nacional do Partido Democrático Trabalhista... decidiu apoiar a candidatura do professor Fernando Haddad, por ele representar na cidade de São Paulo, os compromissos com as conquistas sociais e com a escola de horário integral, que são as principais bandeiras do trabalhismo", afirmou a direção do partido em breve nota divulgada a jornalistas em Brasília.

O PDT lançou candidato no primeiro turno da eleição de São Paulo, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, que teve somente 0,63 por cento dos votos válidos na eleição do dia 7 de outubro.

Serra foi o mais votado na primeira rodada de votação, com 30,75 por cento dos votos válidos, e Haddad veio em segundo com 28,98 por cento.

Na última quinta-feira, o diretório paulista do PDT havia oficializado o apoio a Serra, em cerimônia que teve a presença do candidato tucano, de Alckmin, de Paulinho, o atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), e o secretário Estadual do Emprego e Relações do Trabalho Carlos Andreu Ortiz, que é do PDT.

Na ocasião, lideranças pedetistas afirmaram que a decisão de apoiar Serra se deu, pois consideravam que o tucano é "o mais preparado" para comandar a cidade e porque o tucano decidiu incorporar propostas do PDT ao seu programa de governo.

No governo federal, o PDT tem o titular do Ministério do Trabalho, o deputado federal Brizola Neto.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade