PUBLICIDADE

Paulo Preto se diz magoado e usado na campanha

1 nov 2010 08h33
| atualizado às 08h58
Publicidade

O jornal Folha de S. Paulo apresentou nesta segunda-feira (1), que o ex-diretor de Engenharia da Dersa, Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, se diz "magoado" pelas acusações de corrupção e desvio de verba de obras estaduais no Governo de São Paulo.

As denúncias contra Paulo Preto foram publicadas pelas revistas Veja e Istoé neste ano. Chamado de "homem-bomba do PSDB", a matéria da Veja, publicada em maio, revelava que Paulo Preto havia sido demitido oito dias depois de ter inaugurado o trecho sul do Rodoanel, em São Paulo. A Istoé completou a denúncia em agosto, em uma matéria em que tucanos contaram que Preto teria arrecadado R$ 4 milhões não declarados pelo PSDB.

Para o jornal, Souza afirmou: "estou magoado. Hoje eu tenho como resultado disso 12 processos e representações criminais. Nunca pautei minha vida para ter isso como objetivo". Souza ainda disse que foi usado na campanha eleitoral e que irá esclarecer tudo. "Simplesmente fui usado na campanha. O início de tudo isso se deu por integrantes do PSDB e foi utilizado pela campanha de Dilma Rousseff", declarou à Folha .

Souza ainda lamentou o fato de Serra não ter usado na campanha seu trabalho como gestor de obras, entre elas o Rodoanel e da marginal Tietê.

Fonte: Terra
Publicidade