1 evento ao vivo

Haddad rebate Serra: 'ele não tem expediente na educação'

30 set 2012
15h41
atualizado às 15h58
Ricardo Santos
Direto de São Paulo

Acusado ontem pelo adversário José Serra (PSDB) de ter sido um ministro da Educação "medíocre", o candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou neste domingo que o tucano "não tem expediente na educação". Após carreata por Guaianases, na zona leste da capital, o petista defendeu sua gestão no governo federal e criticou o vice da chapa de Serra, Alexandre Schneider (PSD), ex-secretário municipal da Educação.

Candidato do PT fez carreata, ao lado da vice, Nádia Campeão (PCdoB), em Guaianases
Candidato do PT fez carreata, ao lado da vice, Nádia Campeão (PCdoB), em Guaianases
Foto: Ricardo Santos / Terra

Conheça os candidatos a vereador e prefeito de todo o País
Acompanhe as pesquisas eleitorais
Veja o cenário eleitoral nas capitais
Confira quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras

"Uma pessoa que defende a administração do (prefeito Gilberto) Kassab não pode me elogiar. Ele tem uma forma de avaliação bem diferente da minha e da população em geral", afirmou Haddad, citando a alta rejeição da administração do atual prefeito. "No dia em que eu saí do Ministério da Educação saiu uma pesquisa Datafolha dizendo que a área mais bem avaliada do governo Dilma era a educação. Então, o Serra está em desacordo com o que pensa o povo. O povo aprovou a minha gestão", defendeu.

Outra crítica disparada no sábado por Serra foi que Haddad "fez com que o número de formados nas universidades federais caísse no Brasil". "Completamente errado", respondeu o petista, e atacou de volta. "O Serra não tem expediente na educação. Ele não conhece os dados educacionais do País e muito menos de São Paulo. Um dos poucos secretários de educação que não cumpriram as metas do Ministério da Educação, que foram pactuadas e assinadas pelos prefeitos, foi o vice dele", devolveu Haddad, referindo-se a Schneider.

Segundo o candidato do PT, um termo de compromisso entre Ministério e secretaria municipal da Educação foi assinado em dezembro de 2007, no Palácio dos Bandeirantes, no qual a gestão de Kassab se comprometia a cumprir metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) - o que, segundo Haddad, não aconteceu. "Ele (Schneider) fracassou no cumprimento de metas pactuadas de livre e espontânea vontade com o MEC. Setenta e cinco porcento dos secretários de Educação do País cumpriram as metas. Na vice(-prefeitura) dele (Serra) está um que faz parte dos 25% que não cumpriram, um dos piores secretários da Educação do Brasil. O Serra está por fora", acusou o petista.

Briga pela vice-prefeitura
Ao longo das últimas semanas, com as pesquisas de intenção de voto mostrando Serra e Haddad brigando pelo segundo lugar enquanto o candidato do PRB, Celso Russomanno, segue isolado na liderança da corrida eleitoral, petista e tucano têm se confrontado mais diretamente para brigar pela vaga restante no segundo turno.

Durante comício do PT ontem à noite, o ex-presidente Lula afirmou que Serra devia "se aposentar". Na segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff vai reforçar a campanha de Haddad e aparecerá em comício na zona leste. Já Serra usa o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que vai a comício neste domingo, e não poupa críticas ao adversário petista.

Fonte: Terra
publicidade