publicidade
17 de setembro de 2012 • 14h34

GO: títulos de 123 mil eleitores são cancelados na capital

Técnicos participam de treinamento para dar suporte a urnas biométricas no dia da eleição
Foto: Mirelle Irene / Especial para Terra
 
Mirelle Irene
Direto de Goiânia

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Goiás contabiliza 123.056 títulos eleitorais cancelados em Goiânia devido ao não comparecimento desses cidadãos ao recadastramento biométrico realizado pela instituição até o dia 9 de maio. Dessa forma, tais eleitores ficam impedidos de participar da votação nesta eleição municipal e só poderão regularizar seus documentos a partir do dia 5 de novembro, quando a Justiça Eleitoral reabre o cadastro.

Veja o cenário eleitoral nas capitais
Veja quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras
Conheça os candidatos a vereador e prefeito de todo o País

Em Goiânia, filas gigantescas de eleitores retardatários fizeram com que o TRE realizasse o prorrogamento oficial do prazo final para o recadastramento, que se encerraria, a princípio, no dia 1º de março. Segundo a assessoria do TRE, após o fechamento do sistema de cadastramento, 850.777 eleitores da capital estão regularizados junto à Justiça Eleitoral.

Técnicos são contratados para cuidar das urnas eletrônicas e biométricas
O Tribunal contratou e treinou 450 técnicos para dar suporte e resolver eventuais problemas das urnas eletrônicas e biométricas que serão usadas na eleição deste ano. De acordo com o técnico judiciário Cleyton Luiz de Melo Eufrásio, que coordenou o treinamento do grupo no final de agosto, os técnicos atuarão nos locais de votação.

O técnico judiciário diz que há poucas diferenças do sistema biométrico para o sistema eletrônico tradicional. "O hardware é o mesmo. A identificação do eleitor é que muda, será feita pelas digitais em quatro municípios em que a tecnologia será usada aqui em Goiás. Além da digitação do número do título pelo mesário, e eleitor deverá confirmar, mediante sua biometria, a sua habilitação na urna eletrônica", disse Cleyton Eufrásio.

Além da capital, Hidrolândia, Corumbá de Goiás e Cocalzinho de Goiás terão eleição com identificação biométrica. Eufrásio acredita que a votação com o uso da nova tecnologia irá diminuir as filas nas sessões no dia da votação e que o processo ficará mais seguro.

"O eleitor reconhecido pela biometria não é obrigado a assinar o caderno de votação, como no método anterior. A segurança maior é em evitar que pessoas votem no lugar de outros eleitores. Mas, na verdade, temos implementado cada vez mais dispositivos no sistema que minimizam a possibilidade de tentativas de fraudes", assegurou.

O TRE de Goiás dispõe hoje de 15.588 urnas eletrônicas já adaptadas para o sistema biométrico. Destas, 2.900 serão utilizadas em Goiânia.

Terra