0

Freixo: 'pesquisas erraram muito, vamos esperar domingo para ver'

5 out 2012
02h49
atualizado às 02h57

Paula Bianchi
Direto do Rio de Janeiro

Com 20% das intenções de voto e em segundo lugar nas pesquisas, o candidato do Psol à prefeitura do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo, fez questão de lembrar as denúncias de compra de votos do caso PTN - o diretor estadual do partido, Jorge Esch, teria recebido R$ 200 mil para integrar a aliança política "Somos um Rio", liderada pelo PMDB, de Paes, que conta, no total, com 20 partidos - durante todo o debate realizado pela Rede Globo nesta quinta-feira. Para ele, independente da eleição, o caso é gravíssimo e merece muito mais atenção do que vem recebendo.

Conheça os candidatos a vereador e prefeito de todo o País
Acompanhe as pesquisas eleitorais
Veja o cenário eleitoral nas capitais
Confira quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras

"Em qualquer outra conjuntura, isso seria um escândalo nos meios de comunicação", afirmou ao defender que não é possível governar de forma coerente com uma coligação como a de Paes. "Quem busca governar com 20 partidos quer eliminar um segundo turno e não permite ao Rio de Janeiro fazer o que mais precisa: dar espaço para a sociedade participar do governo."

Freixo vê o segundo turno como fundamental e, apesar das pesquisas darem a vitória a Paes ainda no primeiro turno, duvida dos números. "As pesquisas erraram muito com a Marina, erraram muito com o Gabeira, erraram muito em diversos momentos. É muito diferente do que sentimos nas ruas. Vamos esperar o domingo para ver."

Caso vá ao segundo turno, o candidato também descartou qualquer aliança com Rodrigo Maia (DEM), com quem fez uma dobradinha durante todo o debate nas críticas a Paes. "Claro que se o Gabeira, a Marina, pessoas que defendem o mesmo programa que a gente, quiserem nos apoiar é ótimo. Mas, não faz sentido no programa da gente fazer alianças com Rodrigo Maia, Clarissa (Garotinho - vice de Maia)."

Freixo comentou ainda as críticas de Otávio Leite, do PSDB, que após o debate definiu sua candidatura como cinematográfica. "Pode ser mesmo um filme, mas é um filme belíssimo que nós queremos repetir", disse Freixo, que tinha entre seus acompanhantes no debate o ator Wagner Moura.

Marcelo Freixo (Psol) espera levar a disputa para o segundo turno, fase em que acredita que poderá derrotar o atual prefeito e candidato à reeleição, Eduardo Paes (PMDB)
Marcelo Freixo (Psol) espera levar a disputa para o segundo turno, fase em que acredita que poderá derrotar o atual prefeito e candidato à reeleição, Eduardo Paes (PMDB)
Foto: Daniel Ramalho / Terra
Fonte: Terra
publicidade