0

Ex-governador do PR declara apoio a adversário em Curitiba

1 jul 2012
21h01
atualizado às 21h18
Roger Pereira
Direto de Curitiba

O ex-governador do Paraná Orlando Pessuti (PMDB) declarou que apoiará Ratinho Júnior (PSC) na eleição municipal e não o candidato de seu partido, Rafael Greca (PMDB). "Vou participar desse processo eleitoral permitindo que o Ratinho Junior e o Bruno Pessuti saiam vencedores em outubro", disse o ex-governador. Bruno é filho de Pessuti e candidato a vereador pelo PSC.

Em vez de apoiar correligionário Rafael Greca, Orlando Pessuti ficará do lado de Ratinho Júnior (PSC)
Em vez de apoiar correligionário Rafael Greca, Orlando Pessuti ficará do lado de Ratinho Júnior (PSC)
Foto: Divulgação

A culpa da "infidelidade" de Pessuti, segundo o ex-governador, é seu rompimento com o senador Roberto Requião (PMDB), de quem é desafeto desde 2010, logo depois de herdar o governo do estado quando Requião renunciou para concorrer ao Senado. "Não sou contra o PMDB em hipótese alguma, sempre fui do PMDB, mas nesta eleição de Curitiba não estarei apoiando a candidatura do Rafael Greca porque não pretendo acompanhar, no processo eleitoral, o senador Roberto Requião", afirmou.

Pessuti lembrou que a posição de Requião foi decisiva para que ele não conseguisse viabilizar sua candidatura a reeleição em 2010. "Tenho admiração pelo Rafael Greca, não tenho absolutamente nada contra a candidatura dele, mas tomei uma decisão. Há dois anos o Requião tomou uma decisão de não caminhar ao meu lado como candidato a governador, agora, o Orlando Pessuti e seus amigos tomaram a decisão de não caminharem ao lado do Requião", justificou.

O ex-governador aposta, no entanto, na sua boa relação com Greca para atrair o apoio do PMDB para Ratinho Júnior em um eventual segundo turno com a participação do candidato do PSC. "Espero que possa contribuir para a eleição do Ratinho Junior e se essa for uma tarefa que restar a nós num futuro próximo, procurarei fazer com muita alegria até porque sou amigo pessoal dele", afirmou.

Questionado se pensa em deixar o partido por causa desse problema com Requião, Pessuti negou. " Meu futuro é dentro do PMDB. O senador Roberto Requião faz o trabalho dele e eu faço o meu em favor do PMDB. Estive em Maringá, em Jardim Alegre, em Ivaiporã. Participo, ainda das convenções de Ponta Grosa, Iviporão e Arapongas. Sempre defendendo as candidaturas do PMDB. Não sou contra a candidatura de Rafael Greca, só não quero acompanhar o Roberto Requião", reforçou.

O ex-governador disse, ainda, que não teme ser enquadrado pelo partido ou sofrer alguma sanção prevista na regra da fidelidade partidária. "Estou ajudando a organizar as candidaturas do PMDB em vários municípios, estou fazendo muito mais pelo partido do que ele (Requião). Quando o Requião decidiu apoiar o Alckmin em 2006, não foi enquadrado pelo partido", finalizou.

Fonte: Especial para Terra
publicidade