PUBLICIDADE

Evo: "vitória de Dilma favorece democracia latino-americana"

1 nov 2010 10h40
| atualizado às 16h41
Publicidade

O presidente boliviano, Evo Morales, qualificou nesta segunda-feira (1) a vitória de Dilma Rousseff (PT) nas eleições brasileiras como uma vitória da democracia nos países da América Latina. "É um triunfo da democracia latino-americana", afirmou o governante em uma declaração divulgada pela agência estatal ABI, que acrescenta que Morales seguiu "com atenção" o segundo turno das eleições brasileiras.

Segundo Morales, a democracia voltou a se impor em "uma América Latina unida, que aposta na mudança". Posteriormente, na apresentação em La Paz de um livro do líder cubano Fidel Castro, Morales disse que estava "certo" da vitória do PT, mas se calou "por situações diplomáticas e políticas".

"Nós aguentamos, nos calamos e não festejamos antecipadamente", assegurou o presidente, e acrescentou que a vitória de Dilma, a quem qualificou de "guerrilheira", é uma homenagem às mulheres latino-americanas. Morales tem uma estreita relação com Lula, a quem chegou a chamar de "irmão mais velho". Por outro lado, teve desencontros com José Serra, que acusou Evo Morales de "cúmplice" do narcotráfico.

Derrotado, José Serra parabenizou Dilma e disse que "batalha começa agora"
Derrotado, José Serra parabenizou Dilma e disse que "batalha começa agora"
Foto: Fernando Borges / Terra
EFE   
Publicidade