3 eventos ao vivo

Em evento na UERJ, Freixo convida público a abraçar o Maracanã

27 set 2012
00h47
Mônica garcia
Direto do Rio de Janeiro

O candidato à prefeitura do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo (PSol), mais uma vez mostrou sua grande força eleitoral entre os jovens, que lotaram o auditório da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Apesar da forte chuva que atingiu a cidade nesta quarta-feira o público estimado em mais de 600 pessoas (embora o auditório possua apenas 300 lugares), não arredou o pé até o final do encontro. Logo na chegada o socialista brincou que o partido vai mudar o nome de PSol para PChuva, e que a Primavera Carioca está encharcada e "limpando" a cidade, fazendo uma referência ao último dia 21, quando realizou um comício nos Arcos da Lapa, também sob forte chuva. Freixo convidou o público a abraçar o Maracanã na véspera do pleito eleitoral.

"Nosso último ato de campanha será um grande abraço ao redor do Maracanã. Sei que é um grande desafio, mas queremos dar a volta num dos maiores símbolos do Rio. Queremos que todos vistam a camisa do seu time e venham conosco mostrar que é possível ter uma Copa do Mundo e uma Olimpíada para o povo, e não para as grandes empresas e empreiteiras, como quer o Eduardo Paes (PMDB)", disse Freixo.

O debate estava programado para ter entre os convidados da mesa, o ex-candidato do partido a presidência da República em 2010, Plínio de Arruda Sampaio, mas que por recomendação médica não compareceu. Arruda foi impedido pelos médicos de viajar, devido a uma hemorragia nasal decorrente de uma cauterização. Em carta enviada aos organizadores do debate, o socialista lastimou o fato de não votar no Rio de Janeiro e deixou uma incógnita ao afirmar que em breve ¿todos os cantos do país¿ terão motivos para comemorar.

"Quero apenas reafirmar meu apoio a Marcelo Freixo e Renato Cinco (candidato a vereador pelo Psol), companheiros nos quais lamento não poder votar pessoalmente, por ser de SP, mas que me dão a certeza de que em breve teremos muitos motivos para comemorar (não só vocês cariocas, mas gente de todos os cantos do país)", escreveu Arruda em nota, deixando a dúvida no ar de uma possível candidatura de Freixo, à presidência em 2014.

Durante debate, Freixo voltou a afirmar que o candidato à reeleição, Eduardo Paes (PMDB), precisa que a eleição municipal não vá para o segundo turno, caso contrário, o embate com ele será muito maior, já que o tempo de televisão e rádio será igual para ambos os candidatos e que, portanto, o prefeito não terá como não discutir a cidade, como vem fazendo durante toda a campanha do primeiro turno.

"Para ele (Paes) é fundamental não ter segundo turno, por isso ele polarizou sua campanha, fazendo coligações com diversos partidos e ocupando o grande tempo de televisão. Para eles é fundamental que tudo acabe no dia 7 de outubro, mas não vamos deixar isso acontecer, vamos lutar para ganhar o voto dos indecisos e retirar os votos do lado de lá", afirmou o candidato.

O socialista se mostrou indignado com a ligação de pessoas próximas ao atual prefeito e a milícia comandada por Cristiano Mathias Girão, na Gardênia Azul, zona Oeste do Rio. Na última semana a revista Veja denunciou que o candidato a Câmara Municipal e ex-secretário de Eduardo Paes, Luiz Guaraná (PMDB), havia contratado, Anderson da Silva, ex-assessor de Girão. E que o subprefeito da Barra da Tijuca e Jacarepaguá, Tiago Mohamed, havia pedido uma reunião com a presidente da associação de moradores da Gardênia Azul, Neuza Maria Correa Barreiros (conhecida como Magrela), que tem ligação com Girão, para tratar das eleições municipais.

"Eu acho que as relações do Girão com esse grupo político não nasceu agora. O depoimento do Girão na CPI das Milícias é contundente, e ele já ocupou cargo público no governo Rosinha (Garotinho), indicado pelo Rodrigo Bethlem (coordenador de campanha do Paes). Tudo isso dito por ele mesmo durante depoimento na CPI das Milicias, e agora a associação de moradores ainda controlada pelo Girao fazendo campanha para o atual prefeito. Talvez não seja uma grande coincidência, talvez eles tenham um projeto em comum", concluiu Freixo.

Freixo voltou a afirmar que o candidato à reeleição, Eduardo Paes (PMDB), precisa que a eleição municipal não vá para o segundo turno
Freixo voltou a afirmar que o candidato à reeleição, Eduardo Paes (PMDB), precisa que a eleição municipal não vá para o segundo turno
Foto: Mônica Garcia / Terra
Fonte: Especial para Terra
publicidade