1 evento ao vivo

Em eleição apertada, Anchieta é reeleito governador de RR

31 out 2010
21h58
atualizado em 1/11/2010 às 03h13
Rebeca Lopes
Direto de Boa Vista

Em votação apertada, José de Anchieta (PSDB) foi reeleito governador de Roraima, obtendo 50,41% dos votos válidos, neste domingo (31). Seu adversário direto, Neudo Campos (PP) ficou com 49,59%, com todas as urnas apuradas no Estado. Anchieta teve 107.466 votos, enquanto Campos obteve 105.707. Votos brancos somaram 2.454 (1,11%) e nulos 6.052 (2,73%) - as abstenções chegaram a 49.924 (18,38%)

As primeiras palavras do governador reeleito foram de agradecimento a Deus e ao povo de Roraima, que segundo ele, entendeu as propostas apresentadas durante a campanha. "Agora nossos compromissos são maiores. Quero dizer que vou governar pelo povo, para o povo e com o povo. Lamento alguns episódios, mas isso já faz parte do passado", comentou.

Nascido em 11 de março de 1965, em Jaguaribe, Ceará, Anchieta se elegeu vice-governador de Roraima em 2006, herdando o governo do Estado no final de 2007, após a morte de Ottomar Pinto. Formado em Engenharia Civil, assumiu seu primeiro cargo público como secretário de Estado de Infraestrutura de Roraima, além de temporariamente ficar no cargo da Secretaria do Estado de Articulação Municipal.

Como foi a disputa pelo Governo
No primeiro turno, a campanha eleitoral no Estado foi marcada pelo tom de acusação de todos os lados. Com a lei da Ficha Limpa, a coligação de Anchieta explorou, no horário eleitoral gratuito e inserções avulsas, o histórico de seu adversário, Neudo Campos (PP), colocado como campeão de processos. No final do turno, Campos registrou 47,61% dos votos e Anchieta teve 45,03%.

A administração de Anchieta também foi atacada pelos adversários. Campos criticou durante toda a campanha, a contratação de agência de propaganda pelo Governo do Estado no valor de R$ 5 milhões, a aquisição de mais um jatinho no valor de R$ 7 milhões, os gastos de R$ 2 milhões com shows artísticos e as greves no setor público, assim como problemas estruturais nas áreas de saúde, segurança e educação.

Anchieta contou com o apoio da maioria dos prefeitos de Roraima, dos parlamentares estaduais e federais, entre eles, do senador Romero Jucá (PMDB), líder do governo no Senado e do deputado federal Luciano Castro (PR), um dos vice-líderes do Governo na Câmara Federal. Os dois parlamentares conseguiram a reeleição.

Mas o governador eleito também perdeu aliados de peso. O ninho tucano rachou depois do primeiro turno. Os candidatos derrotados nas urnas, deputado federal, Urzenir Rocha, vice-presidente do diretório regional em Roraima e a ex-senadora e viúva do falecido governador Ottomar Pinto, Marluce Pinto, secretária-geral do Partido, declararam apoio a Neudo Campos. Ambos alegaram traição para a mudança de lado, mas foram contra-atacados por aliados do governador, dos mesmos motivos.

A campanha eleitoral do segundo turno deixou a disputa em Roraima mais acirrada. O pedido de impeachment do governador José de Anchieta (PSDB), protocolado pelo senador Mozarildo Cavalcanti (PTB), foi lido na sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) no dia 18 de outubro. O senador denunciou a existência de crime de responsabilidade contra Anchieta.

Em seu último discurso, Neudo Campos falou sobre drenagem, segurança e saúde pública. Já Anchieta baseou suas falas em ataques à prefeitura da capital Boa Vista, que apoiou a candidatura de seu opositor.

José de Anchieta (PSDB) foi reeleito governador de Roraima
José de Anchieta (PSDB) foi reeleito governador de Roraima
Foto: Antonio Diniz Secom-RR / Divulgação
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade