5 eventos ao vivo

Em debate, Freixo e Cyro criticam postura de 'síndico' de Paes

14 set 2012
14h59
atualizado às 15h06
Paula Bianchi
Direto do Rio de Janeiro

Na contagem regressiva para o dia 7 de outubro, data do primeiro turno das eleições, os candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro Cyro Garcia (PSTU) e Marcelo Freixo (Psol) participaram nesta sexta-feira de um debate no Centro Educacional Anísio Teixeira, escola particular localizada em Santa Teresa, no centro da cidade. Eles responderam às questões sorteadas entre os cerca de 150 estudantes e funcionários que estiveram no encontro, focadas principalmente nos temas transporte, moradia e educação. Questionado a respeito de suas propostas sobre o transporte, o candidato do Psol criticou a postura do atual prefeito e candidato à reeleição Eduardo Paes de se apresentar como "o síndico" da cidade, posição apoiada por Cyro

"Ele gosta de dizer que é o síndico, mas ele foi eleito para ser prefeito. O síndico tira de sua responsabilidade decisões políticas, é um mero administrador, e um prefeito não pode se omitir da política¿, disse Freixo. "Se estamos vivendo uma situação absurda no transporte hoje é porque o governo não tem coragem de enfrentar as empresas de ônibus", completou.

Segundo a direção da escola, todos os candidatos foram convidados, mas apenas os dois responderam ao pedido. Freixo foi recebido pelos alunos com gritos de popstar e as crianças das séries iniciais se revezavam na colação de adesivos da campanha nos uniformes, mochilas, braços e pernas. Cyro foi além nas críticas e defendeu a municipalização do sistema de ônibus do Rio.

"As pessoas veem isso como uma proposta radical, mas o Rio já teve uma empresa pública de ônibus", defendeu. Os dois também criticaram a postura supostamente autoritária do atual prefeito e o foco em políticas para a zona sul e a Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade. "O Túnel Rebouças é quase um túnel do tempo. Você muda de século quando passa por ele", disparou Freixo, referindo-se ao túnel que liga a zona sul a zona oeste da cidade.

"Temos reclamado da falta de democracia do processo eleitoral. Tenho menos de 60 segundos contra os mais de 16 minutos do outro candidato", afirmou Cyro. Parceiros políticos em outras ocasiões, ele fez questão de questionar Freixo sobre a opção de ter uma candidatura a prefeito nesta eleição sem a participação do PSTU. "É público e notório que nós do PSTU fizemos um esforço para uma candidatura conjunta", salientou.

O candidato do Psol respondeu que a opção foi política, assim como o PSTU optou antes por não tecer alianças com o partido no passado. Ao fim do debate, Cyro divulgou a sua tese de doutorado na Universidade Federal Fluminense (UFF) e hoje livro "PT? De oposição a sustentação da ordem" e Freixo chamou a militância para um grande comício no dia 21, às 19h, em frente aos Arcos da Lapa. "Estamos com 18%, quase no segundo turno, mostramos que é possível fazer política de uma forma diferente", argumentou.

Fonte: Especial para Terra
publicidade