0

Em convenção, Fruet pede empenho do PT na campanha em Curitiba

30 jun 2012
14h19
atualizado às 18h20
Roger Pereira
Direto de Curitiba

O candidato do PDT à prefeitura de Curitiba (PR), ex-deputado federal Gustavo Fruet, pediu empenho dos petistas na campanha deste ano e disse que se sente em casa concorrendo em uma chapa que tem a participação do partido que indicou a candidata a vice, Miriam Gonçalves. O apoio do PT a Fruet foi formalizado neste sábado, em convenção no Hotel Petras, que reuniu pela primeira vez a militância petista e o candidato do PDT.

No encontro, Fruet e as lideranças petistas fizeram o discurso da convergência, deixando para trás as resistências que permearam o processo de decisão no PT. "É importante respeitar diferenças e divergências. Agora, nós estamos pensando nas convergências. E todo o processo do PT demonstrou que o partido tem maturidade que está permitindo está convergência", disse o candidato.

Gustavo afirmou que não irá responder às provocações feitas pelo governador Beto Richa (PSDB) e pelo candidato à reeleição à prefeitura de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), que criticaram sua aliança com o partido que comanda o governo federal. "Alguns falam em coerência, mas é engraçado porque sai governo, entra governo, estão sempre no mesmo lugar. Coerência, para mim, é saber o limite das concessões. Quando elas vão além, é preciso recomeçar", afirmou. O candidato disse, ainda, que ele tem total identidade com as forças populares que construíram o PT.

Defensores da candidatura própria dentro do PT, os deputados Dr. Rosinha e Tadeu Veneri também destacaram que, após as disputas internas, o partido segue unificado. "Nós sabemos o debate que fizemos dentro do PT. Feito o debate, você pode ter absoluta certeza de que terá dois companheiros de campanha eleitoral", disse Rosinha. Veneri afirmou que "o grande desafio da militância, agora, é eleger o prefeito e a vice-prefeita do PT".

Mirian Gonçalves disse que representa todas as correntes do partido na chapa de Fruet. "Nós estamos juntos porque queremos fazer em Curitiba o que está sendo feito no Brasil. Fazer o que o Lula e a Dilma fizeram pelo País". Por estarem em convenções no interior do estado, em cidades em que o PT tem candidato a prefeito, os ministros Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo, justificaram ausência da convenção de Curitiba.

Fruet disse que se sente em casa em convenção do PT em Curitiba
Fruet disse que se sente em casa em convenção do PT em Curitiba
Foto: Roberto Corradini / Divulgação
Fonte: Especial para Terra
publicidade