PUBLICIDADE

Dilma diz que o PMDB "nunca pediu ou propôs cargos"

3 nov 2010 12h46
| atualizado às 13h39
Publicidade
Tatiana Damasceno
Direto de Brasília

Eleita presidente da República, a petista Dilma Rousseff, afirmou durante entrevista no Palácio do Planalto na manhã desta quarta-feira (3), que o PMDB, partido do vice-governador eleito, Michel Temer, não pediu ou propôs ocupar cargos em seu governo. "Nunca, eu quero aqui atestar, o PMDB chegou para mim propondo e pedindo cargo (...). Até agora, estão participando do processo de transição como participaram de todo processo eleitoral. Sem conflito, extremamente participativos", garantiu.

A presidente eleita não quis dar os possíveis nomes que ocuparão os ministérios, mas afirmou que exigirá, além da competência técnica, que as pessoas escolhidas "não tenham problemas de nenhuma ordem".

"Eu tenho conversado muito com o vice-presidente, Michel Temer, e nós temos formado uma grande convicção, que é a seguinte: esse é um governo que vai se pautar, não por uma partilha, mas por um processo de construção de uma equipe uma. E quero reiterar que tenho visto por parte do PMDB toda uma iniciativa positiva, favorável a essa convicção. Ou há um problema de comunicação comigo, nunca, eu quero aqui atestar, o PMDB chegou para mim propondo e pedindo cargo. Até agora estão participando do processo de transição como participaram de todo o processo eleitoral, sem conflito, extremamente participativo. Acho que a liderança do meu vice ela é muito importante para garantir que haja enfoque", afirmou.

Dilma destacou ainda as qualidades que espera para a composição dos ministérios. "Eu não considero que ainda está maduro o processo de discussão a respeito dos nomes que integrarão os ministérios e o primeiro escalão da administração, alta administração do País. Agora, eu tenho critérios, eu externei isso no meu discurso. Eu vou exigir que competência técnica, vou exigir também um desempenho, um histórico de pessoas que não tenham problemas de nenhuma ordem e vou exigir também obviamente, eu considero importante o critério político. Eu faço absoluta questão de que os ministros tenham vínculos muito fortes com o Brasil, tenham vínculos muito fortes com a política que eu defendo", disse.

Sobre o conhecido apetite do PMDB por cargos, Dilma disse na coletiva que nunca recebeu nenhum pedido do partido e elogiou a postura da sigla. A presidente disse que não deve anunciar os nomes aos poucos. "Não quero anunciar fragmentado. Vou anunciar os nomes com muita tranqüilidade".

No início desta quarta, Dilma e Temer tomaram café da manhã juntos na casa da petista, em Brasília. No encontro de trabalho, o vice-presidente eleito e coordenador da transição negou que houvesse um tom de cobrança por mais cargos no futuro governo.

Atualmente, além do controle de estatais, os peemedebistas são responsáveis pelos ministérios da Defesa, Saúde, Comunicações, Minas e Energia, Integração Nacional, Agricultura e Banco Central.

Fonte: Terra
Publicidade