1 evento ao vivo

Contrariando expectativas, debate em Curitiba é cordial

27 out 2012
01h13
Roger Pereira
Direto de Curitiba

Quem esperava mais uma discussão quente, com troca de acusações, pedidos de direito de resposta e tudo que uma disputa acirrada no segundo turno de uma eleição tem direito, repetindo o ocorrido nas duas ultimas vezes em que os candidatos se encontraram, se decepcionou com o último debate das eleições para a prefeitura de Curitiba (PR) entre Gustavo Fruet (PDT) e Ratinho Júnior (PSC), promovido na noite desta sexta-feira pela RPCTV, afiliada da Rede Globo. Em uma hora de perguntas e respostas entre os candidatos, nenhuma farpa, nenhuma ironia, nenhum bate-boca. A cordialidade foi tanta que até surpreendeu, depois de duas semanas de severos ataques de Ratinho Júnior, tanto no debate quanto nas propagandas de TV.

Ratinho Junior (PSC, esq.) e Gustavo Fruet (PDT) se preparam para o último debate do segundo turno em Curitiba
Ratinho Junior (PSC, esq.) e Gustavo Fruet (PDT) se preparam para o último debate do segundo turno em Curitiba
Foto: Franklin Freitas / Divulgação

Consulte os candidatos a prefeito em todo o País
Veja os salários dos prefeitos e vereadores das capitais

No debate desta noite, eles discutiram trânsito, segurança pública, educação, saúde, meio ambiente, entre outros temas, e deixaram de falar de alianças, falta de experiência, passado político e atuação na Câmara dos Deputados, que haviam dominado encontros anteriores. No campo das propostas, o que se viu foi semelhança entre os projetos, com os dois candidatos prometendo priorizar a educação, principalmente na questão da carência de vagas em creches; defesa da revisão do projeto do metrô de Curitiba, investimento no turismo e na concessão de incentivos fiscais para pequenas empresas locais.

A semelhança das repostas era tanta que a palavra sintonia foi repetida algumas vezes pelos candidatos. "Isso é bom e é um compromisso que todos temos, fico feliz com essa sintonia", disse Fruet após Ratinho prometer abrir 12,5 mil vagas em creches no primeiro ano de governo. "Em alguns pontos há concordância", admitiu, quando discutiam propostas de geração de emprego.

As divergências ficaram claras quando os candidatos discutiram transporte público, calçadas e meio ambiente. No transporte, Ratinho voltou a apresentar seu projeto de Veículo Leve sobre Pneus (VLP), "para transportar 400 passageiros por veículo, com um investimento de R$ 750 milhões, transportaremos 20 mil passageiros por hora para cada sentido, num trecho de 11 km", prometeu.

"O VLP são dois ligeirões, com investimento muito menor, de R$ 200 milhões, conseguimos aprimorar o sistema atual, aumentando sua capacidade em um terço e melhorando a velocidade média com sincronização dos semáforos", rebateu Fruet. "Nosso projeto é de novas ideias. O sistema atual foi criado pelo Jaime Lerner na década de 1970. Está ultrapassado, o VLP é leve, ágil e ecológico, é inovação", treplicou Ratinho Júnior.

Sobre calçadas, Ratinho prometeu retomar para a prefeitura a responsabilidade sobre o calçamento da cidade, hoje a cargo dos proprietários dos imóveis. Já Fruet disse que a prefeitura pode até bancar a calçada nos bairros mais pobres, "mas quem pode pagar, vai pagar". Já na questão do meio ambiente, Fruet defendeu o rompimento do contrato de emergência assinado pelo consórcio metropolitano para um aterro provisório no município de Fazenda Rio Grande e a licitação de quatro novas áreas, para distribuir melhor o lixo da capital e região. "Só cancelar o contrato não resolve. Não vou criar essa insegurança jurídica, vou, primeiro discutir um novo modelo", disse Ratinho.

Nas considerações finais, Gustavo Fruet mostrou que até ele se surpreendeu com o clima cordial do debate e aproveitou para cumprimentar o adversário pela postura. "Hoje ele mostrou ser o mesmo Ratinho Júnior que eu conheci em Brasília, o mesmo do primeiro turno", disse. Fruet ainda agradeceu seus aliados do PT e do PV e disse estar preparado para administrar Curitiba, "com compromisso com a transparência e a firmeza".

Ratinho também agradeceu sua equipe, "que levou, pela primeira vez, para o segundo turno de uma eleição em Curitiba, um jovem que não é filho de nenhuma família da política tradicional da cidade" e disse acreditar na vitória domingo. "A inteligência vai vencer o preconceito", declarou.

Ao final do debate, Fruet disse que o encontro "marcou uma nova era na política de Curitiba. Uma era de pessoas que têm posição, são firmes, mas que priorizam o diálogo e não os ataques pessoais". Já a equipe de Ratinho informou que a estratégia de campanha foi, para o último debate, focar nas propostas e tentar mostrar seu candidato como o mais capacitado, deixando os ataques de lado, "pois o que tinha que ser dito já foi dito".

Fonte: Especial para Terra
publicidade