1 evento ao vivo

AM: Artur Neto se reúne com governador para definir parcerias

30 out 2012
21h20
atualizado às 21h23
Arnoldo Santos
Direto de Manaus

O prefeito eleito de Manaus, Artur Neto (PSDB), definiu na manhã desta terça-feira as primeiras ações que deverá promover com o apoio do governo do Estado. Obras de mobilidade urbana, ações de segurança e a finalização do programa de abastecimento d'água que a administração já começou e que só está esperando a contrapartida da prefeitura.

O prefeito eleito de Manaus, Artur Neto (esq), se reuniu com o governador do Amazonas, Omar Aziz
O prefeito eleito de Manaus, Artur Neto (esq), se reuniu com o governador do Amazonas, Omar Aziz
Foto: Arnoldo Santos / Especial para Terra

Confira a situação nas câmaras
Veja os salários dos prefeitos e vereadores das capitais

O anúncio foi feito pelo governador Omar Aziz (PSD), que passou em torno de duas horas na primeira reunião com o prefeito eleito no último domingo - ele teve cerca de 65% dos votos do eleitorado manauara. "Não é bem uma ação conjunta. São ações que, de alguma forma, o governo tem de fazer com a prefeitura, assim como a prefeitura vai fazer outras só ela", disse Omaz Aziz.

Por sua vez, Artur continuou defendendo a legitimidade que tem para cobrar a ajuda dos governos estadual e federal. "Eu não vou como líder da oposição, não vou como líder do governo, vou como prefeito da minha cidade que quer fazer um bom trabalho", disse o novo chefe do governo municipal. Durante o mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Artur Neto foi ministro da casa civil, líder do governo no Senado e uma das principais lideranças tucanas no País.

Na era Lula, Artur se destacou como um dos líderes ferrenhos da oposição. Mas 24 anos depois do primeiro mandato como prefeito, ele tenta se mostrar um político mais conciliador, paciente e beneficiário da sabedoria que o tempo lhe concedeu. "O que eu não quero é combater pessoas. Quero fazer um trabalho mais substantivo, com menos adjetivo", diz o tucano.

O governador ainda ajudou no clima de cordialidade depois da reunião ao dar garantias de que apoiará as ações da prefeitura, superando as diferenças apresentadas na campanha, na qual apoiou a candidata adversária, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), que também era apoiada pela presidente Dilma Rousseff. Omar foi taxativo ao se referir que a capacidade de investimento da prefeitura estará em torno de R$ 200 milhões em 2013. "Duzentos milhões para investimentos em uma cidade com o porte de Manaus não é um recurso que se possa resolver tudo em um ano. Por isso é que o Estado vai ajudar", disse.

E mesmo com o clima cordial, os dois foram contidos em fazer alarde na parceria. Posaram para foto apertando as mãos, mas até Artur não deixou de lembrar os tempos em que era uma "pedra no sapato" da bancada governinsta e do então presidente Lula. "É muito melhor para ela me ter na prefeitura do que me ter no senado", disse Artur, se referindo à presidente Dilma. "Eu não deixei de ser combativo. Para enfrentar os problemas que Manaus tem eu preciso ser combativo", acrescentou.

Fonte: Especial para Terra
publicidade