1 evento ao vivo

Doadores do PR receberam R$ 1 bi via Transportes, diz jornal

6 jul 2011
07h50
atualizado às 08h13

Os principais doadores de campanha do PR, partido que controla o Ministério dos Transportes, receberam, no ano passado, R$ 986,2 milhões do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e da Valec, estatal que cuida das ferrovias, órgãos vinculados à pasta do ministro Alfredo Nascimento. Essa é a maior fatia das verbas que três empreiteiras receberam do governo federal. Juntas, Queiroz Galvão, Sanches Tripoloni e Andrade Gutierrez abasteceram os cofres do PR com quase R$ 6 milhões em 2010. As informações são do jornal O Globo.

As empreiteiras figuram em acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU) como beneficiárias em obras gerenciadas pelos dois órgãos, suspeitas de sobrepreço e superfaturamento. A Queiroz Galvão, uma das executoras da Ferrovia Norte-Sul, doou R$ 2 milhões ao PR e, em 2009, recebeu R$ 348,1 milhões do Dnit e R$ 52,5 milhões da Valec. Em 2010, a soma foi de R$ 258,3 milhões. Até a terça-feira, a empreiteira obteve R$ 84,4 milhões desses órgãos, de um total de R$ 85,9 milhões recebidos do governo federal. A Sanches Tripoloni contribuiu com R$ 2 milhões para o PR e recebeu do Dnit R$ 468,14 milhões. A empresa integra o consórcio que constrói o Contorno Norte de Maringá, na qual o TCU apontou sobrepreço de R$ 9,9 milhões. Em novembro de 2010, o TCU bloqueou R$ 2,5 milhões do empreendimento. A Andrade Gutierrez, que repassou R$ 1,7 milhão ao PR, recebeu R$ 679,95 milhões do governo desde 2009, 83% do Dnit e da Valec. A empresa é alvo de auditorias do TCU que apontam sobrepreço em obras como o Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. Em maio, o órgão determinou que sejam devolvidos R$ 1,2 milhão, relativo a superfaturamento na construção de um trecho rodoviário entre Mato Grosso e Pará. A Queiroz Galvão terá de pagar R$ 1,3 milhão.

Fonte: Terra
publicidade