0

Dilma é liderança de silicone, diz Tasso Jereissati

9 fev 2010
20h44
atualizado às 21h14
  • separator
  • comentários

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) contestou nesta terça-feira os dados do balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) divulgados pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, provável candidata do PT à Presidência do País, e disse que a petista "é uma liderança falsa, de plástico, de silicone", durante seu pronunciamento de quase de duas horas na tribuna do Senado. As informações são da Agência Senado .

No fim de semana, o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso disse em artigo publicado na imprensa nacional, no último fim de semana, que "eleições não se ganham com o retrovisor" e comparou Dilma a um boneco manipulado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o que gerou reações da oposição e governo. No domingo, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, rebateu as declarações durante o encontro da Juventude Petista, ao afirmar que "toda a vez que Fernando Henrique fala, nosso governo cresce em aprovação, e a ministra Dilma cresce nas pesquisas". Nessa segunda-feira, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) disse que os programas sociais de Lula da são "uma herança bendita" da gestão anterior. Durante um evento em Minas Gerais, Dilma afirmou que "se querem comparar, vamos comparar. Número por número, obra por obra, escola por escola, emprego por emprego".

Tasso disse que o atual governo quer transformar as próximas eleições presidenciais em uma consulta plebiscitária sobre os avanços havidos nas duas administrações.

"Se for para colocar essa discussão, não há menor receio nossa parte. Temos plena consciência que oito anos de governo FHC fizeram grande revolução que possibilitou que o Brasil entrasse em um período de crescimento econômico que estamos vivendo hoje", disse.

"Sem mentiras, sem maquiagem, vamos discutir com seriedade qualquer comparação que venha a ser feita, sem nenhum tipo de distorção. Essa coisa de sistematicamente mentir não condiz com uma pessoa que é candidata à Presidência da República", disse o senador. De acordo com a ministra, entre os anos de 2007 e 2009 foram investidos R$ 137 bilhões pelo governo na forma de financiamento habitacional.

Tasso disse ainda que o governo Lula procura construir uma candidatura falsa em torno de Dilma, "montada no marketing (...) e sem consistência alguma". Para ele, a ministra não tem papel de líder, "constrói-se em cima de números" e sobrevive "na liderança de um terceiro".

O senador disse que Dilma Rousseff, "dentro de seu processo de propaganda política que o Brasil todo vê, feita praticamente há um ano, agora assume um grau de exuberância que só o tribunal eleitoral não vê".

"Em cima disso, vai-se construindo uma série de números maquiados. Cria-se imagem de eficiência para quem não é conhecido e não tem imagem de nada, com sistema mercadológico feito por marqueteiros competentes no sentido de dar à falsa líder imagem de falsa competência", afirmou.

Números
Segundo o senador, seu partido consultou fontes disponíveis na internet, no Relatório do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, no Relatório de Gestão do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e na Instrução Normativa 22 do Ministério das Cidades, e apurou que parte dos recursos citados pela ministra foram utilizados para a aquisição de imóveis usados que não geraram renda, e que por esse motivo não poderiam constituir investimentos do PAC.

"O total de financiamento de empréstimo entre 2007 e 2009 foi de R$ 111 bilhões, valor inferior aos R$ 137 bilhões no balanço do PAC, do qual ela Dilma é gerente", afirmou.

Redação Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade