Política

publicidade
30 de dezembro de 2012 • 14h04 • atualizado às 14h37

Dilma destaca "avanços" dos 10 anos de Governo do PT

 

O Brasil é um dos poucos países no mundo que pode se orgulhar de avanços sólidos na última década, especialmente desde que a crise começou a afetar à economia mundial em 2007, afirmou neste domingo a presidente Dilma Rousseff.

"Na última década, raros são os países que, como o Brasil, podem se orgulhar de oferecer um futuro melhor para os seus jovens", argumentou a chefe de Estado em artigo de sua autoria publicado na edição deste domingo do jornal "Folha de S. Paulo".

"A crise financeira, iniciada em 2007, devastou milhões de empregos e esperanças no mundo desenvolvido", acrescentou a governante, que defendeu as conquistas do país desde que o PT assumiu o Governo Federal em 1º de janeiro de 2003.

Dilma se referiu às políticas de inclusão social iniciadas por seu antecessor e padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva, e às quais deu continuidade.

Assegurou que, ao contrário do aumento do desemprego e dos problemas provocados pela crise econômica em outros países, o Brasil conseguiu na última década que cerca de 40 milhões de pessoas ascendessem à classe média no que qualificou como "maior movimento de ascensão social na história do país".

Acrescentou que, entre 2003 e 2012, a renda média dos brasileiros cresceu de forma constante; foram gerados 19,4 milhões de novos empregos formais e a desigualdade foi reduzida de forma constante.

"Através do programa Brasil Carinhoso, somente em 2012 retiramos da pobreza extrema 16,4 milhões de brasileiros", declarou.

"O combate à desigualdade social passou a ser uma política de Estado, e não mais uma ação emergencial. Os governos do presidente Lula e o meu priorizaram a educação, a saúde e a habitação para todos, a retomada dos investimentos públicos em infraestrutura e a competitividade da economia", comentou.

Apesar de não ter citado o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) nem a estabilidade econômica garantida em sua gestão, Dilma mencionou que os avanços dos últimos dez anos "foram construídos sobre uma base sólida".

"O Brasil que emerge dos últimos dez anos é um país mais inclusivo e sólido economicamente. O objetivo do meu governo é aprofundar estas conquistas", salientou.

Segundo a presidente, além de prosseguir com a eliminação da pobreza e com a redução das desigualdades, seu desafio é ampliar a competitividade da economia brasileira.

Nesse sentido se referiu aos projetos anunciados em 2012 para oferecer concessões para a construção de estradas, ferrovias, portos e aeroportos em todo o país, assim como para reduzir a carga tributária e as tarifas de energia elétrica.

"São medidas fundamentais para aumentar a competitividade das empresas brasileiras e gerar as condições de um crescimento sustentável", ressaltou.

"Tenho certeza que estamos no rumo correto", concluiu Dilma, que na terça-feira chega à metade de seu mandato com um recorde de popularidade de 78%.

EFE