0

Com foco em 2014, tucanos escolhem Aécio presidente do PSDB

17 mai 2013
12h37
atualizado às 13h45
  • separator
  • 0
  • comentários

O PSDB começará neste sábado a delinear estratégias visando às eleições presidenciais de outubro de 2014, para as quais a atual presidente, Dilma Rousseff, já desponta como favorita.

O debate sobre o ano eleitoral será realizado durante a 16ª Convenção do PSDB, que reunirá em Brasília os seus principais líderes e elegerá como novo presidente do partido o senador Aécio Neves, provável candidato presidencial em 2014.

A escolha de Aécio como líder do partido foi confirmada, mas o mesmo não aconteceu com sua provável condição de candidato da legenda para as eleições, pois há outros tucanos influentes buscando essa indicação.

"Temos vários bons candidatos, mas elegeremos o melhor mais adiante", disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que perdeu as eleições de 2006 frente a Luiz Inácio Lula da Silva e ainda acredita que pode alcançar à Presidência.

Outro líder do PSDB que figura entre os possíveis candidatos para o pleito presidencial é José Serra, derrotado em 2002 por Lula e em 2010 por Dilma Rousseff.

Embora a presidente ainda não tenha confirmado se tentará emplacar um novo mandato de quatro anos, sua candidatura é dada como certa pelo PT e impulsionada por pesquisas de opinião que confirmam sua enorme popularidade.

A última pesquisa, feita em março pela Datafolha, atribuiu a Dilma 58% das intenções de voto e trouxe a ecologista Marina Silva em segundo lugar, com 16%, e Aécio em terceiro, com 10%.

Por outro lado, pesquisas recentes apontam que 68% dos grandes empresários do país acreditam que Dilma será reeleita, mas também que 66% deles preferem Aécio e estão dispostos a apoiar sua possível candidatura.

Aécio, economista e atual senador pelo PSDB, tem 53 anos e uma grande carreira política.

Foi deputado entre 1997 e 2002, presidente da Câmara (2001-2002) e governador de Minas Gerais (2003-2010), estado que constitui o terceiro colégio eleitoral do país e na qual mantém seu principal reduto político.

Além disso, é neto de Tancredo Neves, eleito em 1985 como o primeiro presidente constitucional após uma ditadura de 21 anos, embora tenha morrido antes de assumir o cargo.

Dentro do PSDB, Aécio tem o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2003), uma das vozes mais representativas do partido e que sustenta que a legenda deve passar por uma "renovação" para voltar a ter força eleitoral.

Alguns dos documentos que serão debatidos na convenção de amanhã já insinuam os argumentos que o PSDB pretende esgrimir em sua campanha eleitoral no próximo ano.

Um deles insiste no "legado" que a gestão de FHC deixou para o país, durante a qual o PSDB assegura que houve uma "mudança de paradigma" quanto a políticas sociais, que "não foram inventadas por Lula e pelo PT".

O documento também destaca que, com o PSDB no poder, houve a estabilização da economia e o controle da inflação, que está em alta desde o ano passado e se transformou em uma dor de cabeça para o Governo de Dilma.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade