0

Com ato em Brasília, Marina Silva oficializa criação de seu novo partido

16 fev 2013
17h31
atualizado às 17h37

A ex-senadora e ex-candidata presidencial Marina Silva anunciou neste sábado a criação de um novo partido político, com o qual pretende "preencher um vazio ético e resgatar participação cidadã" na política brasileira.

O partido, batizado como "Rede Sustentabilidade", foi apresentado durante um ato realizado em Brasília, onde Marina Silva assegurou que esse novo grupo político não pretende ser "de oposição e nem de posição" com relação ao governo da presidente Dilma Rousseff.

Neste aspecto, a ex-ministra do Meio Ambiente também esclareceu que este novo partido não será "de esquerda e nem de direita", que apoiará "tudo o que for bem feito" e que "não será pragmático, mas 'sonhático'", já que sua principal meta será tornar "os sonhos" dos cidadãos em realidade.

Marina Silva, de 55 anos, ficou em terceiro lugar nas eleições presidenciais de 2010, nas quais ela se apresentou pelo do Partido Verde e alcançou 19,6 milhões de votos, ou seja, 19,33% do eleitorado.

Sem assumir nenhum cargo desde então, a ex-ministra do Meio Ambiente esteve afastada da política nestes dois anos, embora, segundo pesquisas recentes, ela poderia alcançar 18% do apoio dos eleitores em uma eventual candidatura à Presidência nas eleições previstas para outubro de 2014.

No entanto, Marina esclareceu que esse novo partido não nascerá "com o foco nas eleições do próximo ano", já que seu objetivo será "criar, promover e compartilhar uma nova visão de mundo e de sujeito político, este mais protagonista e não apenas espectador".

O novo partido, segundo foi anunciado hoje durante o ato, aceitará doações de empresas para suas campanhas, desde que não sejam fabricantes de bebidas alcoólicas, cigarros e armas. No caso das empresas agrícolas, o novo partido não aceitará doações daqueles que utilizarem substâncias tóxicas em seus produtos.

De acordo com a legislação, o novo partido deverá apresentar perante as autoridades um documento com assinaturas de 491 mil eleitores, número que representa 0,5% do censo, para ser oficializado.

Para poder apresentar candidatos a algum cargo nas eleições de 2014, nas quais, além de um novo presidente, serão escolhidos 27 governadores e se renovarão as câmaras de Deputados e do Senado, o partido de Marina Silva deverá completar todo trâmite necessário antes do próximo mês de outubro.

No ato realizado neste sábado, Marina esteve acompanhada por Heloísa Helena, ex-senadora do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e candidata presidencial nas eleições de 2006, nas quais ficou em terceiro lugar, com 9% dos votos.

Dirigentes de outros partidos da esquerda brasileira também estiveram presentes no ato, embora nenhum deles tenha anunciado a pretensão de fazer parte desta nova formação.

EFE   
publicidade