PUBLICIDADE

Cerca de 16 milhões de documentos da ditadura serão digitalizados

2 abr 2013 07h54
| atualizado às 07h54
ver comentários
Publicidade

O coordenador da Comissão Nacional da Verdade, Paulo Sérgio Pinheiro, anunciou na segunda-feira que cerca de 16 milhões de documentos produzidos durante a ditadura militar (1964-1985) que integram o acervo do Arquivo Nacional serão digitalizados e disponibilizados na internet até julho. Ontem, Pinheiro participou em São Paulo da divulgação de documentos do período produzidos no Estado. Dentre os papéis, há registros do Serviço Nacional de Informações (SNI), dos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores, da Polícia Federal, entre outros órgãos. Até agora, 15% desses documentos foram digitalizados. As informações foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo

De acordo com Pinheiro, os papéis trarão indícios sobre casos de repressão pesquisados pelo grupo, mas é improvável que tragam relatos oficiais sobre práticas abusivas, como torturas e assassinatos. Os documentos do Arquivo Nacional já são públicos, mas com a digitalização as pesquisas poderão ser feitas à distância e com o recurso de busca por palavras-chave. Os arquivos paulistas disponibilizados desde ontem na internet incluem prontuários e fichas produzidos pelo Departamento de Ordem Política e Social (Dops) e pelo Departamento de Comunicação Social, que o sucedeu. Em www.arquivoestado.sp.gov.br é possível procurar papéis por data, nome, organização ou número de registro. 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade