0

Berzoini nega caráter eleitoreiro e sugere filme sobre FHC

17 nov 2009
20h24
atualizado às 22h34
  • separator
Marina Mello
Direto de Brasília

Ministros do governo Lula e o presidente do PT, Ricardo Berzoini, negaram nesta terça-feira, ao chegarem na pré-estreia do filme Lula, O Filho do Brasil, que o lançamento do filme próximo a 2010 tenha qualquer caráter eleitoreiro. Ao ser questionado sobre críticas, Berzoini sugeriu que a oposição faça um filme sobre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

A primeira-dama Marisa Letícia posa ao lado da atriz Juliana Barone, que faz seu papel no filme 'Lula, o Filho do Brasil'
A primeira-dama Marisa Letícia posa ao lado da atriz Juliana Barone, que faz seu papel no filme 'Lula, o Filho do Brasil'
Foto: Ricardo Stuckert/PR / Divulgação

"O presidente Lula não é candidato a nada no ano que vem, apesar de ser um cabo eleitoral muito importante. Mas acho que a manifestação cultural é assim. Por exemplo, eu sugiro à oposição que tentem fazer um filme sobre a vida de Fernando Henrique (Cardoso). Certamente vai ser bastante interessante", disse.

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT), usou o mesmo argumento de Berzoini para negar caráter eleitoreiro da produção. "O Lula não é candidato, ele já foi reeleito. Seria (eleitoreiro) se ele fosse candidato", disse. Questionado se a vida de Dilma, pré-candidata do PT às eleições presidenciais de 2010, também renderia um filme, Lupi respondeu: "por que não?".

Lula, O Filho do Brasil, dirigido por Fábio Barreto, abre a 42ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro nesta terça-feira, às 20h30, na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Cláudio Santoro. O filme narra a trajetória de Luiz Inácio Lula da Silva até chegar à Presidência.

Lula não compareceu à pré-estreia e foi representado pela primeira-dama, Marisa Letícia.

Veja também:

Barroso vê 'motivação política' em ataques contra TSE
Fonte: Terra
publicidade