0

Após pesquisa, Lula diz a Dilma que trabalho não pode parar

1 fev 2010
14h11
atualizado às 16h42
Laryssa Borges
Direto de Brasília

Reservadamente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou nesta segunda-feira a popularidade de seu governo e sua aprovação pessoal registradas nesta manhã pela pesquisa do Instituto Sensus encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). "Estamos melhorando. Não podemos parar de trabalhar", afirmou o presidente à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, segundo relato de um auxiliar de gabinete. "Temos que continuar crescendo."

Dilma alcançou 27,8% da preferência do eleitorado para a Presidência
Dilma alcançou 27,8% da preferência do eleitorado para a Presidência
Foto: Ricardo Stuckert/PR / Divulgação

Ao comentar com Dilma a avaliação positiva de 71,4% para seu governo e a aprovação de seu desempenho pessoal na casa de 81,7%, Lula ainda não havia sido informado que a pré-candidata governista à presidência da República está tecnicamente empatada no quesito de intenções de voto com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e tampouco que superou o gestor tucano na pesquisa espontânea de votos, quando não são apresentadas opções de candidatos.

A edição de número 100 da pesquisa CNT/Sensus aponta que a ministra-chefe da Casa Civil subiu em pesquisa de intenção de voto e chegou a um empate técnico com José Serra.

No principal cenário, Dilma alcança 27,8% da preferência em janeiro, contra 33,2% de Serra. O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) ficou com 11,9% e a senadora Marina Silva (PV-AC) tem 6,8%. Votos brancos e nulos somaram 10,5% e 9,9% não sabiam que candidato escolher.

Em novembro do ano passado, última edição da pesquisa do instituto, Serra tinha 31,8% das intenções, Dilma ficava com 23,5% e Ciro Gomes, com 17,5% dos possíveis votos.

Em um cenário sem Ciro Gomes, Serra aparece com 40,7% das intenções de voto, Dilma, com 28,5% e Marina com 9,5% - 11,4% votariam branco ou nulo e 10% não sabem.

Segundo o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, houve transferência de votos de Ciro para Dilma tanto no primeiro quanto no segundo cenário. "Na minha análise, os votos do Ciro vão um pouco mais para Dilma do que para o Serra", afirmou. "Talvez o eleitor esteja se convencendo de que a eleição se encaminha para ser polarizada."

A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 25 a 29 de janeiro com 2 mil entrevistados em 136 municípios. A margem de erro é de três pontos percentuais. O número de registro é o 1570/2010.

Fonte: Redação Terra
publicidade