0

Após denúncias, internautas repercurtem caso Orlando Silva

17 out 2011
02h30
  • separator

Depois de ser denunciado pela revista Veja por desvios de verbas, o ministro do Esporte Orlando Silva dividiu opiniões no Twitter. Com a hashtag #SouOrlandoSouBrasil, os brasileiros levaram o assunto ao Trending Topic nacional.

Ministro do Esporte é acusado de desviar cerca de R$ 40 milhões em oito anos
Ministro do Esporte é acusado de desviar cerca de R$ 40 milhões em oito anos
Foto: Glauber Queiroz/ME / Divulgação

A tuitera @lemos_monique, por exemplo, demonstrou apoio ao ministro. "Tem gente que não suporta a idéia de um negro, nordestino e ainda por cima comunista em espaços de poder! #souorlandosoubrasil".

Por outro lado, alguns internautas se mostraram indignados com a situação, como é o caso de @amadeumetal: "se eu não pagar os impostos vou para cadeia, agora quem rouba o nosso suado 'dindin' ganha até um tributo de apoio no TT #SouOrlandoSouBrasil".

Denúncias
Segundo reportagem da revista Veja, diversos membros do PCdoB, capitaneados pelo ministro, faziam parte do esquema de irregularidades envolvendo convênios entre a pasta e ONGs, que teria desviado mais de R$ 40 milhões em oito anos. As acusações têm como única fonte o policial militar e ex-militante do PCdoB João Dias Ferreira, que aponta o ministro como um dos beneficiados do desvio.

Ferreira foi um dos cinco presos no ano passado pela polícia de Brasília sob acusação de participar de desvios de recursos destinado a um programa da pasta. Investigações passadas apontavam diversos membros do PCdoB como protagonistas das irregularidades, na época da Operação Shaolin, mas é a primeira vez que o nome do ministro é mencionado por um dos suspeitos. Ferreira, por meio da Associação João Dias de Kung Fu e da Federação Brasiliense de Kung Fu, firmou dois convênios, em 2005 e 2006, com o Ministério do Esporte.

De acordo com Ferreira, as ONGs recebiam verbas mediante o pagamento de uma taxa que podia chegar a 20% do valor dos convênios. Orlando Silva teria recebido, pessoalmente, dentro da garagem do Ministério, uma caixa de papelão cheia de cédulas de R$ 50 e R$ 100 provenientes da quadrilha. Parte desse dinheiro, acusa a Veja, foi usada para pagar despesas da campanha presidencial de 2006.

Confira abaixo a repercurssão no twitter:

#SouOrlandoSouBrasil


Veja também:

Sem máscara, Bolsonaro vai a lotérica e padaria em Brasília
Fonte: Terra
publicidade