PUBLICIDADE

Ao receber honoris causa da UFBA, Lula lembra apelido baiano

20 set 2011 15h08
| atualizado às 15h45
Publicidade
Maria Clara Dultra
Direto de Salvador

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi titulado na manhã desta terça-feira doutor honoris causa pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador. Em seu discurso, ele homenageou o Estado da Bahia e lembrou que era chamado de "baiano" em sua época de sindicalista, no interior de São Paulo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu na UFBA seu sexto título doutor honoris causa
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu na UFBA seu sexto título doutor honoris causa
Foto: Maria Clara Dultra / Especial para Terra

Esta é a sexta vez que ele recebe o mais elevado título concedido pelas universidades a personalidades eminentes, que tenham se destacado pelo notório saber ou pela atuação de destaque em áreas como artes, ciências ou causas humanitárias.

Na sessão solene, Lula disse que a Bahia é o "Estado símbolo da construção da nacionalidade brasileira" e citou a participação do povo baiano em revoltas populares importantes para a construção da democracia no País, a exemplo da Revolta dos Alfaiates, na proclamação da Independência da Bahia, na Revolta dos Malês, na Sabinada, na Abolição da Escravatura, na Guerra de Canudos e na luta contra a ditadura militar.

"Quando eu comecei no sindicalismo, meu apelido era 'baiano', e eu tinha muito orgulho dele porque muitos baianos foram protagonistas de causas democráticas e nem por isso a luta e o sangue fizeram da Bahia um lugar triste e o Pelourinho, símbolo de arte e cultura, é um exemplo disso. Admiro a capacidade de luta e superação do povo baiano, por isso, agradeço e me sinto honrado com esta homenagem inesquecível", disse o ex-presidente.

Emocionado, Lula dedicou o título "a todos aqueles que contribuíram com a educação do Brasil, alicerce para a igualdade social" e, surpreendido por uma multidão de estudantes que invadiram a cerimônia para ovacioná-lo, Lula também dedicou a honraria a eles. Os estudantes aproveitaram a presença da reitora da UFBA, Dora Leal Rosa, do governador do Estado, Jaques Wagner (PT), e do prefeito João Henrique (PP) e a homenagem a Lula para protestar por melhores condições de infraestrutura para as universidades brasileiras. "É correto, mas temos que estudar com seriedade essas reivindicações", limitou-se a dizer Lula.

Em um discurso emocionado, o ex-presidente relembrou os oito anos de seu mandato, quando, segundo ele, "o Brasil se voltou para a democratização do ensino superior e o investimento em educação triplicou de R$17 bilhões, em 2003, para R$65 bilhões", em 2010, atendendo, principalmente, a estudantes de baixa renda. O ex-presidente citou, ainda, outros feitos de seu governo para o desenvolvimento da Educação, como a criação de 14 novas universidades federais, e sinalizou a continuidade de políticas estratégicas de Educação no governo Dilma. "Dilma vai fazer em 4 anos quase o que fizemos em oito", comparou, em tom de brincadeira.

A autora do pedido de titulação para o ex-presidente, a professora Maria Victoria Gonzalez, da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) citou o poeta espanhol Antônio Machado para dizer que Lula foi, enquanto presidente da República, "a água e a sede do povo brasileiro". Ela disse que, graças às políticas públicas do governo Lula voltadas para educação, "os excluídos, os invisíveis puderam saciar a sede pelo conhecimento".

Em outubro de 2002, apenas três dias após ser eleito presidente da República pela primeira vez, o Conselho Universitário da instituição decidiu pela outorga do título por unanimidade em regime de votação secreta. A reitora da UFBA justificou outorga: "os conselheiros entenderam que a biografia de Lula representa uma contribuição para um Brasil livre e democrático porque, além de ter sido o primeiro presidente do País a emergir das camadas sociais, do operariado, ele lutou pela constituição de uma verdadeira e sólida cidadania para os brasileiros", afirmou a reitora, citando trecho do parecer do processo.

A sessão solene de outorga do título contou, ainda, com a presença do presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, além de intelectuais e comunidade acadêmica.

Fonte: Especial para Terra
Publicidade