0

Anvisa inocenta Agnelo Queiroz de suposta propina de laboratório

9 fev 2012
17h14
atualizado às 17h33
Laryssa Borges
Direto de Brasília

Uma sindicância da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concluiu que o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), é inocente da acusação de ter recebido uma suposta propina quando era dirigente da autarquia para autorizar a comercialização de um medicamento. Agnelo, que era responsável pela liberação de licenças de funcionamento de laboratórios, sempre negou a acusação.

A denúncia contra o governador partiu do ex-funcionário da indústria União Química Farmacêutica, Daniel Tavares, que afirmou que Agnelo teria recebido R$ 5 mil como parte do pagamento de propina para a liberação de um medicamento. Em um segundo momento, Tavares disse ter recebido recursos de adversários de Agnelo para incriminá-lo.

De acordo com a Anvisa, o corregedor Ivon Carrico, responsável pela sindicância, informou aos advogados do governador que não foi encontrada nenhuma irregularidade ao longo da investigação. A sindicância duraria inicialmente 60 dias, mas foi prorrogada por mais 60.

Fonte: Terra
publicidade