0

AL: irmão de Calheiros diz que DEM e PMDB podem se fundir

7 dez 2012
18h26
atualizado às 18h35
Odilon Rios
Direto de Maceió

O deputado estadual Olavo Calheiros (PMDB-AL), irmão do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), confirmou que há conversas entre o Democratas e o PMDB, no plano nacional, para que as duas legendas se fundam. Mas, em alguns Estados, os dois partidos estão em lados opostos e sem chances de fusão, como na Bahia. O DEM baiano é representado pelo carlismo, hoje sob a batuta do neto de Antônio Carlos Magalhães - o prefeito de Salvador, ACM Neto.

"Essa dicussão existe, mas eu vejo dificuldade. Acredito que o DEM precisa se fundir a um partido, sob risco de extinção", disse Olavo Calheiros ao Terra. As declarações foram dadas na Convenção Estadual do PMDB, que acontece na tarde desta sexta-feira em um hotel na orla de Maceió. A possibilidade de fusão era assunto discutido entre vereadores e deputados estaduais, nas rodas de conversas, durante o encontro.

"A fusão ajuda sim, seria ótimo para o PMDB, mas eu não vejo essa possibilidade. Há divergências a serem resolvidas", disse o prefeito da cidade de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus (PMDB) - um dos mais próximos dos irmãos Calheiros. Presente ao encontro, Renan Calheiros demonstrou surpresa ao ser questionado sobre o assunto: "Essa foi uma discussão que aconteceu anteriormente, não tenho informações". Logo depois, acrescentou: "O PMDB é o maior partido do Brasil, de maior bancada. Não defendo a fusão. Tem que se fazer é uma reforma política", disse.

Ouvido por telefone, o presidente municipal do DEM, deputado Jeferson Morais, disse não conhecer as conversas, mas admitiu que o presidente estadual do DEM, o vice-governador José Thomáz Nonô, esteve em Brasília esta semana em encontro nacional da legenda. "Tivemos uma confraternização do DEM em Alagoas, encontrei com o Nonô e ele me falou por alto do encontro nacional. Mas não se falou em fusão. Esse assunto ele não tratou comigo", disse.

A assessoria do vice-governador informou que ele não poderia conversar com a reportagem por estar acompanhando a formatura do filho. "Até o momento, não houve conversa sobre isso", disse a assessoria, referindo-se à suposta fusão. Após a criação do PSD, o Democratas perdeu força e ainda enfrentou o desgaste da cassação do senador Demóstenes Torres, em julho, acusado de usar seu mandato para beneficiar o bicheiro Carlinhos Cachoeira. A possibilidade de fusão do DEM com outras legendas, como o PSDB, é especulada desde o início do ano.

Fonte: Especial para Terra
publicidade